Connect with us

Tocantins

TOCANTINS: Próximo secretário de segurança anuncia medidas primárias para a pasta

Publicado

em

Durante sua entrevista coletiva na casa do governador eleito, Siqueira Campos (PSDB), o proximo secretário de Segurança, Justiça e Cidadania, advogado João Costa Ribeiro Filho (PSDB) comentou sobre a atual situação da Segurança Pública no Estado e suas metas emergenciais para as melhorias na pasta. Contudo, o secretário destacou que os projetos pontuais para a pasta só serão conhecidos em janeiro, depois da posse do governador e secretariado.

O secretário classificou como caótica a situação da segurança pública no Tocantins e ressaltou que muito se por culpa dos próprios profissionais que fazem parte da pasta na atualidade. “Muito por desconhecimento técnico, ou até por falta de vontade política para resolver os problemas”, completou.

Um dos pontos que o secretário destacou que pretende dar atenção, é com relação às divisas do Estado, para que a criminalidade não transite pelo Tocantins. “Temos que resolver os problemas transfronteiriços para que os criminosos não entrem ou saiam do Tocantins livremente”, frisou.

Foco no sistema prisional

O novo secretário da pasta unificada de segurança destacou que um dos principais problemas no Estado, está no seu sistema prisional. Ribeiro Filho ressaltou que é necessária uma reforma profunda nos presídios do Estado. No entanto, reconheceu que este não é um problema que seja resolvido de forma imediata.

De acordo com o secretário, uma das primeiras medidas para sanar os problemas no sistema prisional tocantinense será a classificação dos presos de acordo com seu grau de periculosidade. “Iremos classificar como periculosidade leve, média ou grave. Os de grande perigo, nós vamos mandar para presídio federal até que os do Tocantins estejam prontos”, completou.

Outro ponto levantado pelo secretário foi o combate à corrupção dentro dos presídios. De acordo com ele, todo o trabalho de correção do preso é prejudicado quando é presenciada uma ação de corrupção por parte dos policiais de dentro do presídio. “É ali (na penitenciária) que acontece o mal. Quando o policial deixa entrar drogas, armas, celulares, isso destrói o criminoso. Quando ele vê os policiais ganhando dinheiro dentro do presídio”, informou.

Reintegração à sociedade

Junto com seus subsecretários da nova pasta, João Costa Ribeiro Filho destacou que pretende unificar as ações de segurança pública às de cidadania para que os presos possam ser reintegrados de maneira eficaz na sociedade. “É preciso um projeto amplo de cidadania”, destacou.

O secretário afirmou que precisa do apoio de suporte de todos os agentes formadores de cidadãos para a reinserção dos presidiários no convívio social. “Precisamos de mais atores neste grupo. Precisamos de instituições engajadas na obra”, alertou.

De acordo com o advogado, os presos que tiverem condições de cumprirem liberdade condicional e vigiada, serão reintegrados na sociedade após comprovação de emprego e condições de renda. “Vamos unificar os poderes para poder criar meios de qualificar os presos para o trabalho. Somente de mãos dadas vamos resolver o problema da segurança pública”, completou.

O papel da subsecretaria de cidadania será, de acordo com o Ribeiro Filho, cuidar para que não nasçam novos criminosos na sociedade. De acordo com ele, é de dentro de casa que as crianças tiram seus exemplos e formam suas personalidades.

“Violência doméstica. Pais que se entregam ao alcoolismo, aos vícios. Precisamos cuidar da violência dentro das casas. E a parte da cidadania é a que vai cuidar da porta para trás nas casas”, informou o secretário.

Primeiras ações na prática

O novo secretário destacou que como medidas primárias na atuação à frente de sua pasta, ele pretende fazer com que os policiais que passaram no concurso para o Estado do Tocantins, retornem de suas transferências para outros Estados. “No primeiro dia, vou requisitar a devolução de todos os policiais que estão no Tocantins”, completou.

Outro ponto levantado como meta da secretaria é a criação de portal da transparência. Segundo João Costa, com o portal, a sociedade terá condições de acompanhar os andamentos dos gastos da secretaria. “Todos serão informados, empresas e cidadãos”.

Dinheiro curto, mas suficiente

Sobre o orçamento da secretaria, Ribeiro Filho destacou que o dinheiro é curto, mas o suficiente para atender às demandas da pasta. “O dinheiro é curto; quando mal administrado, fica menor ainda, quando se tem a corrupção, fica impraticável”, lamentou. (Philipe Bastos – Conexão TO)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins acumula mais de 80 mil contaminados pela Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta quinta-feira, 26 de novembro, foram contabilizados 241 novos casos confirmados para Covid-19.

Deste total, 69 foram registrados nas últimas 24 horas e o restante por exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Desta forma, hoje o Tocantins registra um total de 254.508 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 80.450 casos confirmados da doença. Destes, 72.849 pacientes estão recuperados e 6.446 estão ainda ativos (em isolamento domiciliar ou hospitalar), além de 1.155 óbitos.

Clique AQUI e veja o boletim completo.

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Cristo tem iluminação especial no Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher

Publicado

em

Quem passou pelas proximidades do setor Pedra Alta, nessa quarta-feira, 25, viu a imagem do Cristo Redentor de Araguaína alaranjado. A iluminação diferenciada foi uma referência ao Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher. A data é escolhida pelas Nações Unidas (ONU), em 1999, em homenagem às irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leônidas Trujillo na República Dominicana, na década de 1960.
 
Conhecidas como “Las Mariposas” (as borboletas), essas mulheres eram ativistas contra o regime de Trujillo. Eram nascidas em uma família rica da província dominicana de Salcedo (hoje chamada de Hermanas Mirabal), com cursos universitários, casadas, com filhos e tinham cerca de uma década de protestos.
 
Reforma

A estátua do Cristo e as imediações estão sendo revitalizadas. A iluminação já está pronta e é realizada por cinco projetores em LED, que podem receber vidraria colorida para refletir na imagem. O sistema que liga a iluminação é automatizado para garantir economia de energia durante os horários de sol.
 
A partir de dezembro, o monumento passará para cor vermelha em alusão ao Natal e também mês da doação de sangue.
 
Combate contra a violência

A Secretaria da Assistência Social tem atendimento especializado no Centro de Referência de Assistência Social (CREAS) para mulheres que sofrem violência doméstica e ainda estimula a independência financeira com cursos profissionalizantes gratuitos. Para ter acesso o atendimento o telefone é 99973-9729.
 
“Nós percebemos que grande parte das mulheres que sofrem violência tem medo de sair de casa não só por medo do companheiro, mas também pela dependência financeira. Então, fornecemos a ajuda psicológica e educativa para transformação dessa mulher”, afirmou Lucas Andrade, diretor de Proteção Social Especial.

Continue lendo

Tocantins

Comerciantes no interior do Tocantins são acusados de reter cartões bancários de indígenas e idosos

Publicado

em

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 69ª Delegacia de Polícia de Tocantínia, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 26, em Tocantínia, a 60 km de Palmas, a operação Borduna contra comerciantes que estariam, em tese, retendo cartões bancários dos povos indígenas Xerente, idosos e demais pessoas.  Coordenada pelo delegado-chefe da 69ª DP, Hismael Athos, a operação teve o objetivo de cumprir seis mandados de busca e apreensão, resultando na apreensão de diversos cartões e senhas anotadas em papéis.

De acordo com a autoridade policial, as investigações iniciaram após o Ministério Público Federal (MPF) enviar notícia crime para Polícia Civil de que cartões bancários referentes a auxílios do Governo Federal eram retidos por comerciantes daquela cidade para garantir o pagamento de produtos alimentícios adquiridos pelas vítimas em estabelecimentos comerciais específicos.

O delegado, Hismael Athos, informou ainda, que os cartões permaneciam de posse dos comerciantes e, à medida que os benefícios eram depositados, os respectivos valores eram debitados das contas. Segundo a autoridade policial, há indícios de que os comerciantes sabiam inclusive as senhas bancárias dos indígenas e realizavam esses saques mensalmente.

O delegado ressaltou que é crime reter cartão de idoso. Informou ainda, que inicialmente, a Operação servirá de alerta para que os povos indígenas tomem posse dos seus documentos e cartões pessoais. “Orientamos que os beneficiários dos recursos busquem pessoas de sua confiança para realizar os saques bancários e jamais entregue seus cartões bancários a terceiros”, afirma a autoridade policial.

Operação Borduna

A operação foi batizada de Borduna em homenagem espécie de armamento indígena com o referido nome, fabricado em madeira maciça e utilizado em caçadas ou mesmo para em situações de ataque e defesa dos povos indígenas. (Patricia de Paiva)

Continue lendo
publicidade Bronze