Connect with us

Tocantins

TOCANTINS: Quase metade das grávidas ainda não foi vacinada

Publicado

em

O Ministério da Saúde (MS) publicou, no próprio site, que ainda é baixo (apenas 54,9%) o número de mulheres grávidas tocantinenses que já foram vacinadas contra o vírus da gripe H1N1 (gripe suína). De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesau), o Tocantins possui cerca de 24.222 gestantes e, até ontem de manhã, somente 13.322 haviam buscado as unidades de imunização para receberem a dose.

Segundo a coordenadora de imunização do órgão, Marlene Alves, a cobertura entre as grávidas está aquém do esperado. “A nossa expectativa era que a procura fosse mais intensa, até porque ela já vem desde o início da segunda etapa da campanha, no dia 22 de março. Isto nos gera receio porque, aqui no Estado, este é o pico da circulação do vírus, pois estamos em nosso período mais frio, o que pode afetá-las antes de serem vacinadas.”

Vulneráveis

Dados do MS afirmam, também, que a preocupação existe porque este grupo está entre os mais vulneráveis, sendo que, de acordo com ele, a cada cinco casos graves no Brasil, um envolve mulher gestante (20%), e das três mortes ocorridas em 2010 no País, uma foi do mesmo público (33,3%). No Tocantins, os números também são agravantes, diz Marlene. “Em 2009, dos 83 casos confirmados da gripe, 11 envolveram gestantes (11,6%); dentre os quatro óbitos ocorridos no mesmo período, 50% foram deste grupo (2). Já em 2010, até hoje (ontem), nós confirmamos três casos, todos em mulheres não-grávidas, mas o fato é que a gestante tem a imunidade baixada, e isto a deixa mais suscetível a adquirir o vírus.”

Conforme explica a coordenadora, as grávidas que ainda não se vacinaram não devem deixar para a última hora para se imunizarem, pois os riscos e prejuízos podem ser diversos. “A vacina está disponível nos postos, ela não apresenta efeitos colaterais fortes, no máximo, uma leve dor no corpo e na cabeça que passa rápido. Não vale a pena se arriscar, além de ser uma doença muito agressiva, levantamentos apontam que o custo diário do tratamento pode chegar a R$ 500,00, isto sem os exames de apoio (laboratorial e raio-x).”

Grupos

Segundo dados do Ministério da Saúde levantados até a manhã da última quarta-feira, 180.844 pessoas haviam tomado a vacina no Tocantins. Dos grupos de risco incluídos nas três primeiras etapas de vacinação contra a gripe suína, o melhor desempenho está entre os profissionais da saúde, que de acordo com o MS, alcançaram 99,1% da meta de imunização. Em segundo lugar vem a cobertura entre crianças menores de dois anos (78%). O grupo de adultos entre 20 e 29 anos tem o pior desempenho até agora, com apenas 30,8% de cobertura vacinal. (Marcus Mesquita – Colaborou Valéria Kurovski)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins 373 novos casos confirmados para Covid-19

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta quinta-feira, 3 de dezembro, foram contabilizados 373 novos casos confirmados para Covid-19.

Deste total, 95 foram registrados nas últimas 24 horas e o restante por exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Desta forma, hoje o Tocantins registra um total de 261.911 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 82.651 casos confirmados da doença. Destes, 74.525 pacientes estão recuperados.

Clique AQUI e veja o boletim completo.

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Dimas determina compra da vacina da Pfizer contra Covid-19

Publicado

em

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, autorizou a compra das doses da vacina contra a covid-19 necessárias para imunizar os araguainenses. O Decreto nº 365, publicado no Diário Oficial do Município dessa quarta-feira, 2, determina que a Secretaria Municipal de Saúde faça a aquisição do produto em regime de urgência.
 
“Se São Paulo está comprando uma vacina, a gente também pode comprar. Isso vai garantir o funcionamento do comercial e industrial, e dar tranquilidade para todo mundo. A prioridade do uso dela deve ser decidida pelos nossos técnicos da Saúde e divulgando posteriormente. A estimativa é que o custo seja de, no máximo, R$ 10 milhões”, afirmou Dimas.
 
A vacina escolhida para compra é da farmacêutica norte-americana Pfizer e a parceira biotecnológica alemã BioNTech, que anunciaram que a sua vacina para a covid-19 tem 95% de eficácia. Nesta semana, o Reino Unido divulgou ter comprado 40 milhões doses do produto.
 
Segundo informações da Agência Brasil, o Governo Federal segue com acordo com o laboratório AstraZeneca e a Universidade de Oxford. A opção tem taxa média de eficácia de 60% e a expectativa do Governo é de que 130 milhões pessoas devem alcançadas no país até o fim do ano que vem.
 
Gestão eficiente
Além de ter sido a primeira cidade do Tocantins a adquirir os testes rápidos feitos pelo sangue, Araguaína também tomou a iniciativa para a aquisição de kits para coleta de exame PCR, feito com muco do nariz ou boca.
 
Araguaína também foi a primeira cidade do Brasil a tornar obrigatório o uso de máscaras de proteção facial em locais públicos, viabilizando a produção e distribuição de 40 mil unidades do equipamento à população carente, junto com cestas básicas, por meio da Secretaria Municipal Assistência Social.
 
Também foi a única cidade do Tocantins a criar um hospital de campanha contra covid-19 para atender toda população do norte do Estado. Posteriormente, transferindo os leitos para a primeira etapa do prédio próprio do Hospital Municipal Eduardo Medrado, que atualmente funciona como hospital de campanha e unidade de pronto atendimento (UPA) para pessoas com graves sintomas respiratórios.
 
Diariamente, as equipes da Infraestrutura realizam a desinfecção de pontos de ônibus, rodoviária, ruas próximas a hospitais, unidades de saúde e UPA, entre outros locais.

Continue lendo

Tocantins

Principal suspeito de assassinar médico no interior do Tocantins é preso

Publicado

em

Momento em que suspeito foge do local do crime

No final da tarde desta quarta-feira, dia 2, a Polícia Civil do Estado do Tocantins efetuou a prisão de um homem de 34 anos de idade, apontado como principal suspeito de cometer o homicídio que vitimou o médico Ricardo Maciel Catuladeira Miranda, de 55 anos de idade, fato ocorrido no início da tarde desta terça-feira, 1º, na Unidade de Saúde da Família em Santa Rosa, onde o profissional trabalhava.

Na ocasião, o médico estava repousando na unidade de saúde, quando foi surpreendido pelo agressor, sendo atingido por pelo menos três golpes de faca e veio a óbito no local.  De acordo com o delegado Joadelson Rodrigues Albuquerque, responsável pelo caso, logo após o crime, os policiais civis, da 98ª DP de Natividade, bem como equipes da Perícia Criminal e do Instituto de Medicina Legal estiveram no local do homicídio, onde realizaram os trabalhos de praxe, sendo que, de imediato, a autoridade policial iniciou investigações e passou a coletar relatos de testemunhas que ajudaram na identificação do autor.

Com base nas investigações ininterruptas e de posse da identificação do suspeito, o Delegado representou junto ao Poder Judiciário da Comarca de Natividade pela prisão preventiva do homem, a qual foi deferida, uma vez que trata-se de crime de homicídio doloso qualificado, conforme apontaram as investigações da Polícia Civil. O crime teria sido planejado e foi executado em plena luz do dia, na presença de várias pessoas, que inclusive viram o suspeito cometendo o ato e fugindo do local a pé e depois com a utilização de uma motocicleta.

De posse da ordem judicial, policiais civis de Natividade, Porto Nacional e também Silvanópolis, coordenados pelos delegados Joadelson e também pelo delegado Antônio de Oliveira Carvalho, intensificaram as buscas e conseguiram localizar o paradeiro do suspeito que estava escondido em uma região de mata na zona rural de Silvanópolis.

Após ser preso, o homem foi conduzido à Central de Atendimento da Polícia Civil em Porto Nacional, onde será ouvido pelo delegado Antônio de Oliveira Carvalho. Na sequência será dado cumprimento ao mandado de prisão em desfavor do indivíduo. Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o homem será recolhido a Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. As investigações continuam para que a Polícia Civil possa desvendar a motivação para o crime.

Continue lendo
publicidade Bronze