- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
domingo, 14 / agosto / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img
Array

TOCANTINS: Sobre o esquema de multas na ATR, empresário diz que recebeu mais multas em 8 meses, do que nos últimos 4 anos

Mais Lidas

Um carro novo, zero km, apreendido às margens da rodovia, com os passageiros deixados ao relento na saída de Gurupi. Outro carro que faz a linha Palmas/Rio Sono interceptado com ordem para os passageiros descerem. Multas aplicadas com intervalos de 5 minutos. Mais de R$ 50 mil em autos de infração a serem pagos. Esta é a situação da empresa Interpalmas, fundada em 2006, cujos proprietários procuraram nesta, quinta-feira, 22, o Site Roberta Tum para levar ao conhecimento público o que consideram uma perseguição às empresas pela gestão do Coronel Constantino Magno à frente da ATR.

 “Não estou dizendo que problemas não ocorrem, mas o que está acontecendo é um abuso da autoridade dos fiscais em cima da gente. Muitos dos problemas que são verificados nos carros, acontecem por causa da situação das estradas. O tacógrafo digital por exemplo, é um equipamento sensível. Não tem condições de manter funcionando 100% nestas estradas esburacadas e estrada de chão. A mesma coisa vidro do parabrisa trincado”, explicou ele exibindo sobre uma mesa a quantidade de multas sofridas.

Afirmando não ter nada de pessoal contra a gestão da ATR, Sílvio reclama ter protocolado um documento endereçado ao presidente da agência em 15 de julho deste ano, relatando o que considera um abuso na prática dos fiscais e listando os autos de infração que haviam chegado a ele até aquela data. Algo em torno de R$ 18 mil. “Agora estas multas já estão em aproximadamente R$ 50 mil. A gente tá querendo trabalhar. E sei que o governador não é dessa política de penalizar empresas”, argumentou.

Arbitrariedade e prejuízo aos passageiros

Sílvio relata que no período de carnaval a busca pelo transporte sobe em suas rotas, e que por isto protocolou pedido para colocar um carro extra na linha que faz Gurupi. “Oficializei, recebi a autorização verbal do diretor de transporte para rodar, por que não havia tempo hábil para a resposta escrita, e coloquei na linha um carro novo, do ano, já registrado na ATR”, conta.

O que veio em seguida foi “inacreditável”, conta o empresário. Os fiscais da ATR interceptaram o veículo já na rodovia, determinaram que os passageiros descessem e apreenderam o veículo recolhendo-o ao pátio do Detran.

 “Os passageiros ficaram ao relento, tendo que se virar pra voltar pra casa. O carro foi apreendido dia 05 de março e ficou parado, no pátio do Detran até o dia 14. Além do prejuízo destes dias sem rodar, tive que pagar uma multa de R$ 1.203,00 para liberar o veículo e mais a taxa de R$ 280 do pátio do Detran”, conta, exibindo o oficio com o protocolo de recebimento da ATR pedindo a autorização para o carro extra, e o dare da multa com o comprovante de pagamento.

Passageiros reagem

Na linha Palmas Rio Sono, que é atendida apenas pela Interpalmas, e se trata de uma estrada sem pavimentação, outro carro extra, desta vez colocado em período de férias, foi interceptado pelos fiscais. “Desta vez os passageiros desceram e ameaçaram partir pra cima dos fiscais. Veja a situação: eles não tinham outra forma de chegar em sua cidade. Aí eles liberaram o carro, depois de multar”.

Segundo Sílvio o que está acontecendo é “um abuso”. A forma de resolver a situação na opinião do empresário é que a direção da ATR ouça as empresas, e dê solução à falta de documentação – “estamos rodando com autorização de boca desde que o protocolo foi fechado” – e reoriente a fiscalização.

 “O que a lei determina é averiguar, orientar e só depois multar. Não é isso que a ATR tem feito, são multas em cima de multas, de forma arbitrária”, finalizou.

Aguardando a ATR

O Site Roberta Tum tentou contato desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 23, com o Coronel Magno para ouvir a ATR sobre as reclamações da Interpalmas. Depois de enviar mensagem de voz e de texto, a assessoria de imprensa retornou ligação à redação se comprometendo a responder os questionamentos que deveriam ser encaminhados por email, uma vez que o coronel participa de evento nacional em Brasília nesta sexta-feira.

O email no entanto não foi respondido até as 15h20, razão pela qual a matéria vai ao ar, mantendo o espaço aberto à manifestação da agência. (Com informações do site Roberta Tum)

- Publicidade -spot_img

2 Comentários

Assinar
Notificar-me
guest
2 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
observador

ISSO E VERGONHOSO

SIQUEIRA CAMPOS, NAO FOI PRA ISSO QUE ACREDITEI, AJUDEI E VOTEI EM VOCE

luciano

isso é só ressaca do militarismo não que eu tenha algo contra os militares mas esta claro a forma perseguidora de se trabalhar. tenho certeza que o governador não compactua com este regime do presidente da agençia.

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias