Connect with us

Tocantins

TOCANTINS: Vistoria na CPPP encontra armas artesanais e revólver

Publicado

em

Com o objetivo de dar continuidade à operação Pente Fino, iniciada no dia 22 de janeiro com vistoria nas casas de prisão provisória de Araguaína e Gurupi e no Presídio Agrícola Luz do Amanhã, de Cariri, agentes penitenciários, 35 policiais civis, 60 policiais militares do Grupo de Operações com cães (GOC) e da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) realizaram uma revista minuciosa nas celas e em toda a área da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), na manhã de ontem.

Durante as atividades da operação que foram iniciadas no domingo e tiveram continuidade por quatro horas da manhã desta quarta-feira, foram apreendidos diversos chuchos, cordas de fabricação artesanal, dois celulares, seis chips de celular, um carregador, R$ 4 em dinheiro, drogas (quantidade não informada) e cerca de 20 facas artesanais. Na madrugada de domingo para segunda, a vistoria já havia encontrado uma arma calibre 38 com, seis munições.

“Tivemos um resultado bastante satisfatório, pois no decorrer da operação, que começou no domingo,  a gente conseguiu apreender celulares, armas artesanais, cordas que seriam usadas para eventuais fugas de presos e, inclusive, um revólver calibre 38 com seis munições, que supostamente seria utilizado para resgates de presos dentro da unidade”, avaliou o superintendente do Sistema Penitenciário e Prisional, Rossílio Souza Correia, que coordenou a operação juntamente com o diretor de Administração Penitenciária e Prisional, Jairon Afonso, que informou que são 472 presos na CPPP, sendo 70 no regime semi aberto e 402 no regime fechado.

A operação foi planejada pelo subsecretário da Justiça e Cidadania, Djalma Leandro, e apoiada pelo diretor-geral da Polícia Civil, João Luís Pina.

Correia explicou ainda que as vistorias serão desenvolvidas periodicamente para manter a segurança dos detentos, da comunidade e dos funcionários das unidades prisionais. “As datas serão agendadas no momento oportuno, mas todos vão passar por vistorias ou já estão passando”, disse o superintendente, acrescentando que o objetivo da ação foi verificar o que está entrando ilegalmente nas instituições carcerárias para que  os órgãos responsáveis possam aprimorar as fiscalizações nos arredores do local.

Cariri

No sábado 23 de janeiro a operação desarticulou um plano de fuga em massa de cerca de 200 presos do Presídio Agrícola de Cariri e apreendeu  14 celulares, 12 carregadores de celular, 12 facas artesanais, 18 chuchos, 2 cadeados, 1 chave de algema de uso restrito à polícia, várias cordas artesanais, pedaços de ceguetas, chips de celular, além de cabos de rodo e vassouras e pedaços de fio de iluminação. (Jonal do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Suspeito de torturar e matar namorada em motel do Tocantins é preso

Publicado

em

A Polícia Civil confirmou nesta terça-feira (21) que o suspeito de torturar e matar Marcela da Silva Soares em um motel de Palmas é um ex-namorado da vítima. O homem, de 21 anos, não teve o nome divulgado. A Secretaria de Segurança Pública informou que ele já responde por outro homicídio, mas não deu detalhes do crime.

A crueldade do assassinado de Marcela chocou moradores em Palmas. O corpo da jovem tinha marcas de queimaduras, indicando a tortura. A análise preliminar indicava que ela poderia ter morrido esganada, mas isso ainda será confirmado por laudos do Instituto Médico Legal (IML).

O delegado do caso, Guido Camilo, que chefia a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas, disse que o suspeito confessou. Ele estava com o celular da vítima e escondido na casa de parentes em Porto Nacional, a 60 km da capital, quando foi detido. A SSP disse que ele não esboçou nenhuma reação ao ser abordado.


O homem deve responder por feminicídio. Inicialmente ele foi levado para a Central de Flagrantes de Porto Nacional. Depois disso, foi transferido para um presídio não divulgado.

O assassinato

O crime foi descoberto durante a madrugada de segunda-feira (20). Testemunhas relataram à polícia ter ouvido uma discussão vinda de um apartamento do motel, de número 103, onde a vítima estava hospedada.

Os funcionários do motel acabaram encontrado a vítima ao ir vistoriar o local porque a pessoa que acompanhava a mulher saiu sem pagar. O corpo foi encontrado com marcas, que podem ser de queimaduras, na região da barriga e das pernas. (G1)

Continue lendo

Tocantins

No Tocantins, homem de 42 anos é suspeito de estuprar a própria filha de 13

Publicado

em

Um homem de 42 anos, investigado por estuprar a própria filha, de 13 anos, foi preso pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), durante ação realizada na manhã desta terça-feira, 21, em Rio Sono. A operação que resultou no cumprimento do mandado de prisão preventiva em desfavor do indivíduo foi coordenada pelo delegado Anderson Casé, e contou com apoio de policiais civis da 4ª Delegacia de Polícia Civil de Palmas, e também do delegado Ricardo Real.

De acordo com delegado Anderson Casé, o estupro teria ocorrido no último mês de agosto e passou a ser investigado pela Polícia Civil, após o registro de um Boletim de Ocorrência onde os fatos foram denunciados. A partir daí, os policiais civis da DP de Rio Sono passaram a diligenciar e, com o aprofundamento das investigações, foi possível efetuar o levantamento de fortes indícios de que o pai teria, de fato, estuprado a própria filha.

As investigações da Polícia Civil foram confirmadas com os laudos emitidos por psicólogos e assistentes sociais que fizeram o acompanhamento da adolescente.

Com base nas investigações, o delegado responsável pelo caso representou, junto ao Poder Judiciário, pela prisão do homem. De posse da ordem judicial, os agentes foram até a residência do indivíduo e efetuaram a captura do mesmo.

Preso, o suspeito foi encaminhado à 1ª Central de Atendimento da Polícia Civil de Palmas, onde foram realizados os procedimentos de praxe. Em seguida, o indivíduo foi recolhido à Unidade Penal de Palmas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Continue lendo

Tocantins

Operação prende sonegadores no Tocantins que causaram prejuízos de R$ 57 milhões

Publicado

em

A Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), por intermédio da Divisão de Repressão a Crimes contra a Ordem Tributária (DRCOT), de Palmas, deflagrou nas primeiras horas da manhã desta terça-feira, 21, uma operação de combate à sonegação fiscal.  Os ilícitos supostamente praticados já teriam resultado em um prejuízo na ordem de R $57 milhões de reais aos cofres do Estado do Tocantins.

Segundo o delegado responsável, a operação teve como objetivo dar cumprimento a mandados de busca e apreensão e também de prisão, no Tocantins e também no Estado de Minas Gerais. A ação também visa instruir inquérito policial instaurado para apuração de crimes contra a ordem tributária e outros crimes conexos envolvendo pessoas ligadas a uma empresa sediada no Tocantins. Ainda conforme a autoridade policial, as investigações tiveram início após auditoria realizada pela Delegacia Regional Tributária de Palmas. Durante os trabalhos, que contaram com apoio de agentes do Fisco dos estados do Pará, Maranhão e Bahia, foram constatadas inúmeras irregularidades fiscais que confirmam a prática de ilícitos que estariam sendo praticados já há algum tempo. 

Diante dos fatos apurados, a PC-TO, por meio da DRCOT, representou pelos mandados judiciais que foram cumpridos na manhã de hoje, em endereços ligados a pessoas supostamente envolvidas nos crimes de sonegação fiscal. No decorrer das diligências, os policiais civis encontraram em uma das residências, uma arma de fogo, que foi apreendida. Também houve o cumprimento do mandado de prisão temporária, em desfavor de um dos investigados, que após os procedimentos legais adotados, será recolhido à Unidade Penal de Palmas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Além dos agentes da DRCOT, a operação desta terça-feira também contou com apoio efetivo de policiais civis da Divisão de Repressão a Corrupção e ao Crime Organizado (DRACCO) e suas divisões de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e 8ª Divisão de Combate ao Crime Organizado (8ª DEIC) de Gurupi, e Divisão Especializada de Repressão  Corrupção (DECOR), Palmas. A operação também contou com a participação da Perícia Oficial, por meio dos Núcleos de Crime Financeiro e Computação Forense.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze