O ministro Luís Roberto Barroso reconheceu em decisão divulgada nesta quarta-feira, 7, que a deputada Federal Dulce Miranda aplicou corretamente os recursos do Fundo Especial de Financiamento das Campanhas (FEFC), ao repassar valores a candidaturas masculinas, pois restou demonstrada a existência da chamada dobradinha, e que provou o benefício da verba em prol de sua candidatura, nas eleições de outubro de 2018.  “Nego seguimento ao recurso especial eleitoral”, escreveu o Relator.

A decisão beneficia além de Dulce, o deputado estadual biquense, Jair Farias (MDB), maior beneficiado com as doações diretas de Dulce, com o repasse do Fundo Especial de Financiamento das Campanhas.

Eles enfrentam processo de cassação de mandato.

“Eu estava tranquila quanto a este processo porque tinha e tenho consciência que não infringi a Lei e fiz toda a minha campanha dentro da constitucionalidade”, observou a Deputada, acrescentando que nos locais onde fez dobradinha com Jair e os outros envolvidos, a parlamentar obteve votação superior a 90%, se comparada à campanha de 2014 nos mesmos municípios.

A deputada pontuou que já esperava por esse entendimento do TSE.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.