Connect with us

Pará

TUCURUÍ: Campanha para doação de cabelos é lançado durante o Outubro Rosa

Publicado

em

Doadores confraternizam em momento único

Durante todo o mês de outubro, a equipe multiprofissional da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vitor Moutinho (Unacon), em Tucuruí, realizou ações dedicadas à informação, prevenção e ao combate ao câncer de mama, doença que não acomete apenas as mulheres. Só no município, foram registrados dois casos de câncer de mama em homens, que hoje fazem tratamento na Unacon.

A radio-oncologista da unidade, Priscila Conceição, explica a importância de ações como as desenvolvidas pela unidade, alusivas ao Outubro Rosa. “A estratégia de falamos durante o mês de outubro, sobre o câncer de mama é pra gente conseguir levar mais informação para as pessoas, desmistificar, tirar um pouco do medo e as crenças à respeito da doença, além de levar orientações para que as pessoas consigam também fazer o auto exame e detectar precocemente o câncer”, afirma a médica.

Ainda de acordo com a Dra. Priscila, quando estimula-se o autoexame das mamas, a realização de exames como a mamografia, se torna mais fácil a detecção precoce do câncer, sendo possível reduzir a mortalidade e aumentar a possibilidade de cura da doença. “Hoje sabemos que em torno de 95% os cânceres de mama, são potencialmente curáveis, mas isso só será possível se o diagnóstico for precoce e o tratamento começar ainda na fase inicial da doença”, explica Priscila.

Amor crescido – A Unacon, também considera o emocional dos usuários na hora de realizar as ações e criar projetos. Na segunda-feira (28), aconteceu o evento “Dia D” que faz parte da programação da Campanha Outubro Rosa da unidade, com a oferta de vários serviços prestados aos usuários, acompanhantes e comunidade em geral. Os parceiros foram: O Boticário, Espaço Corpore, os Salões de Beleza do CRT e da Assel, designers de sobrancelha, além do cantor Thiago Castro.

Na ocasião, foi realizado o lançamento do projeto “Amor Crescido”, que considera o drama que a grande maioria das mulheres enfrenta ao perder os cabelos durante o tratamento de câncer. 

Após viver essa experiência, Onilda Gomes e Ivanete Barbosa, se sentiram motivadas a doar lenços para quem está passando pelo que elas já enfrentaram. As duas aproveitaram a campanha para fazer a boa ação.

“Eu também sou uma paciente oncológica, já passei por todo processo, a quimioterapia, a carequinha… Sei o quanto perder os cabelos é ruim e que neste momento os lenços ajudam a levantar a autoestima. Faz com que a gente se sinta mais bonita, então quando ficamos sabendo dessa campanha da Unacon, não pensamos duas vezes”, disse Onilda.

Quem também aproveitou para cortar e doar os cabelos durante o lançamento do projeto Amor Crescido, foram as gêmeas Sophia e Sarah Vargas. Com apenas 8 anos de idade, as duas deram um exemplo de solidariedade. A mãe das meninas, Michele Vargas Silva, garante que a iniciativa da doação partiu das filhas. “Elas me ouviram falar sobre o projeto Amor Crescido e a importância para quem faz tratamento de câncer e perde o cabelo e decidiram cortar e doá-los. Elas estão muito felizes por saber que o cabelo delas vai ajudar outras pessoas a ficarem felizes também”, disse a mãe das gêmeas.

Larissa Nogueira Santos, do Serviço de Atendimento ao Usuário – SAU, garante que o projeto Amor Crescido será permanente, quem quiser fazer doações, basta se dirigir a Unacon e falar sobre o destino das doações.” Todo o material arrecadado será encaminhado para uma ONG que confecciona perucas, para pessoas que perderam os cabelos, seja por escalpelamento ou durante o tratamento de câncer. Além dos cabelos o projeto também recebe doações de lenços, que são muito utilizados pelas pacientes da unidade”, disse Larissa. Só durante o lançamento do projeto foram recebidas na Unacon, 20 doações de cabelos e a mesma quantidade de lenços.

Caminhada do Outubro Rosa- Mas teve quem aproveitou a caminhada realizada pela Secretaria de Saúde do Município, na última sexta-feira(25), para fazer suas doações. Foi o caso da pequena Ana Clara, que fez questão de só cortar o cabelo, se o mesmo fosse doado. ” Eu já queria cortar meu cabelo, mas queria que tivesse um sentido maior que mudar o visual, por isso decidi doar”, disse Ana Clara.

A mamãe de primeira viagem, Deyse Jaqueline Albuquerque também aproveitou a o estande da Unacon, na caminhada do Outubro Rosa, pra fazer a doação dos cabelos. “A maternidade inspira o amor, sem contar que com o cabelo mais curto, fica mais fácil de cuidar”.                                                                        A Unacon que já realiza tratamentos de quimioterapia e hormonioterapia, deve iniciar já na primeira semana de novembro, o tratamento de radioterapia, esperado pelos moradores da região, que agora não irão mais precisar ir pra outras cidades para fazer o tratamento.

Atendimento – A Unacon é uma unidade do governo do Estado que foi implantada, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), com a finalidade de ampliar e assegurar assistência integral a pacientes portadores de câncer nas regiões do Lago, Carajás e Araguaia, área que abrange 38 municípios e, aproximadamente, 1,8 milhão de habitantes, oferecendo aos pacientes da região a possibilidade de realizar o tratamento mais perto da família.

Serviço: A Unacon Tucuruí funciona em frente ao Hospital Regional, na Vila Permanente. Mais informações pelos telefones: (94) 3778.4928/4599.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

Absurdo no interior do Pará. Criança de 9 ano é agredida e sofre violência sexual de próprios parentes

Publicado

em

Uma criança de apenas nove anos foi resgatada por moradores de Maracanã, no interior do estado do Pará, após sofrer torturas, cárcere e violência sexual, segundo o boletim de ocorrência realizado pelas pessoas que a encontraram na noite de sábado, 17.

A garotinha foi resgatada em situação deplorável, aparentando desnutrição, com  feridas por todo o corpo, cabeça raspada e muito magra. Na delegacia, a ocorrência foi registrada como estupro de vulnerável, maus-tratos e abandono material de incapaz.

A menina foi resgatada por pessoas da comunidade do bairro onde ela estava morando, de acordo com o boletim de ocorrência e de vídeos que circulam nas redes sociais. Dois homens, resgataram a menina e brigaram com outro homem, que também estaria tentando violentar a criança.

Muito assustada, chorando, ela conta que era agredida com chicote pelo casal onde ela morava e mostra as marcas das feridas nos braços,pernas, cabeça, rosto e até no olho. A situação absurda causou espanto nas pessoas que a socorreram, dado o nível de maus-tratos da garotinha.  

Eles acionaram a polícia e contaram que por volta das 4 h da madrugada encontrada a criança sem roupa, apenas de calcinha, deitada no chão, com vários hematomas. A criança contou que seu tio a teria colocado para fora da casa. Além do tio, um homem aparentando mais de 30 anos, suposto irmão da vítima a violentava sexualmente.

A Polícia Civil e Militar prenderam o casal de supostos tios da vítima em flagrante. J. A. S. da C. e sua mulher I. do E. S., estariam com a responsabilidade de cuidar da menina, após a mãe apresentar problemas de saúde e não poder criar a garotinha. 

Em vez de cuidar, eles praticavam todo tipo de maus tratos à criança, chegando ao absurdo de expulsar a criança de casa e obrigá-la a dormir na rua. Os dois estão presos na delegacia local.

O Conselho Tutelar foi acionado e em seguida a Promotoria de Justiça, que levaram a criança ao hospital municipal, onde ela se encontra em tratamento de saúde e para providências do exame de corpo de delito. (Com informações de RomaNews)

Continue lendo

Pará

Paysandu e Vila Nova empatam sem gols no Mangueirão

Publicado

em

Vila Nova e Paysandu ficaram no empate sem gols na noite deste domingo, em duelo da 11ª rodada da Série C. Mérito dos goleiros Fabrício e Paulo Ricardo, que se destacaram e mantiveram o placar de 0 a 0 no Mangueirão.

O Paysandu foi levemente superior ao Vila Nova. O time paraense finalizou mais e melhor que o adversário na etapa inicial. O goleiro Fabrício teve que fazer pelo menos duas intervenções importantes, aos cinco e aos 31 minutos. Do outro lado, Paulo Ricardo praticamente só assistiu ao jogo. Mesmo quando chegou ao ataque, o Tigre foi pouco incisivo. Rondou a área, trocou passes, alçou bolas, mas finalizou só duas vezes, ambas sem perigo.

No segundo tempo, porém, o panorama mudou. O Vila cresceu e passou a ser mais perigoso, sobretudo em jogadas de contra-ataque. O artilheiro Henan foi quem teve as melhores chances, mas parou na trave, aos 26 minutos, e em grande defesa de Paulo Ricardo, aos 27. O Paysandu respondeu aos 33, em cabeceio de Nicolas; Fabrício defendeu. Na reta final, as duas equipes caíram de rendimento e não conseguiram tirar o 0 a 0 do placar.

Além do goleiro Fabrício, a zaga do Vila, formada por Rafael Donato e Adalberto, confirmou o bom momento e fez jus ao fato de ser a defesa menos vazada da Série C. São apenas seis gols sofridos em 11 rodadas.

O Vila Nova segue na vice-liderança do Grupo A, agora com 20 pontos. Com 12, o Paysandu é sétimo colocado, mas ainda pode perder posições dependendo do resultado do jogo entre Manaus e Botafogo-PB, que acontece nesta segunda-feira. O Tigre volta a jogar só na outra segunda-feira (26), quando recebe o Ferroviário-CE no OBA. Antes, no sábado (24), o Papão visita o Treze no Amigão. (GE / Foto: Jorge Luiz)

Continue lendo

Pará

Pará registra 241.262 casos de Covid-19 e 6.682 mortes

Publicado

em

A Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) confirmou neste domingo (18) mais 20 casos de Covid-19 e cinco mortes. Agora são 241.262 casos de Covid-19 e 6.682 óbitos no estado.

Segundo a Sespa, foram três novos casos e dois óbitos nos últimos sete dias, além de 17 casos e três óbitos de dias anteriores.

O Pará possui, até então, 225.770 recuperados, 27.748 casos descartados e 458 casos em análise.

Em relação à ocupação de leitos na rede estadual, o Pará tem 31.66% dos leitos clínicos e 55.6% das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocupados.

De acordo com a Sespa, já foram realizados 384.620 testes rápidos e 53.648 testes de PCR para Covid-19, até então.

Continue lendo
publicidade Bronze