Connect with us

Pará

TUCURUÍ: Investimento em telemonitoramento de pacientes busca desafogar sistema de Saúde

Publicado

em

A Central de Telemonitoramento Covid-19 acompanha, de forma remota, os pacientes que procuram as unidades básicas por 14 dias, tempo médio de duração dos sintomas. A estratégia surgiu da parceria entre a Prefeitura de Tucuruí e a Universidade do Estado do Pará (Uepa), oferece manejo adequado na evolução dos casos – inclusive do grupo familiar – e favorece o distanciamento social e a proteção dos profissionais de saúde.

Coordenador do projeto, Wendrel Furtado informa que o projeto foi implantado em janeiro, já atendeu 850 pessoas e segue protocolos do Ministério da Saúde, baseados em evidências, a exemplo do que é feito em países como a Espanha.

“Formatamos a proposta e recrutamos uma turma de 18 alunos do 5º ano de Enfermagem da Uepa. Eles são supervisionados e divididos em escala para entrar em contato com os pacientes pela manhã e à tarde para fazer a tabulação dos dados”, detalha o enfermeiro.

Equipes das 23 unidades de atenção básica do município também foram qualificadas para captar os casos suspeitos ou confirmados de Covid. Assim, os pacientes acompanhados no telemonitoramento já passaram previamente pelo atendimento médico.

“A ligação é feita no dia seguinte, a partir de uma triagem, considerando os casos com maior risco (idosos, grávidas e pessoas com comorbidades) que são monitorados a cada 24h e os sem comorbidades que recebem ligações a cada 48”, observa Wendrel.

REFERENCIAMENTO

Os sintomas podem evoluir para a cura ou, se houver necessidade, o paciente é referenciado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Covidário, estruturada para receber os casos moderados, ou ainda para os hospitais de alta complexidade, onde estão os graves. A Central permitiu desafogar a UPA, que estava atendendo 100 pacientes suspeitos por dia e agora atende apenas 20, possibilitando a assistência a outras doenças.

O monitoramento é alimentado em tempo real por meio de um prontuário eletrônico desenvolvido pela área de Tecnologia da Informação (TI) do município.

“Informações como dados sociais, presença de comorbidade e profissão do paciente; os usos da medicação; efeitos adversos, se continua com os sintomas, se o grupo familiar apresenta também. Após a diminuição dos sintomas, eles recebem alta do monitoramento, orientações sobre prevenção”, explicou Wendrel. 

Aira Pompeu é uma das acadêmicas que atua no telemonitoramento. “Está sendo muito gratificante, pois quando vamos nas unidades percebemos que a Covid está muito avançada. Assim, alcançamos o paciente mantendo a distância social. Isso dá uma sensação de segurança e de integralidade do cuidado”, comenta a estudante.

Ela diz que a atenção faz a diferença para os pacientes. “Teve uma vez que ligamos para uma senhora que tinha uns 50 anos. Percebemos que eles ficam muito isolados e carentes e agradecem pelo cuidado. Isso me emocionou na época”, acrescentou.

O serviço é destinado a toda a população, independentemente da faixa etária. “A principal importância é dar assistência integrada ao paciente, fazer as orientações cabíveis para manter o isolamento e ter o manejo adequado, estruturando o serviço para não entrar em colapso. Logo no começo foi difícil, mas agora estamos estruturados. Estávamos no final de um pico, mas agora estamos preparados”, avalia o coordenador, informando que houve um aumento de 15% nos casos no mês de março.

SERVIÇO

O teleatendimento funciona das 8h às 12h, com contato remoto pelos telefones: (94) 98169-7415 e (94) 98168-9847. Também está disponibilizado um contato 24h pelo número (94) 98129-5792, em que o paciente pode se informar sobre os sintomas e dúvidas em relação à pandemia. (Dayane Baía)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

MARABÁ: Limpeza de grotas e bueiros vem sendo mantido nos bairros

Publicado

em

As equipes de limpeza do Serviço de Saneamento Ambiental (SSAM) estão atuando em toda a cidade, em diversas frentes para deixar os locais mais bonitos e limpos. Esta semana, entre os locais de atuação das equipes de roço estão às margens da Transamazônica e o Jardim Belo Horizonte, que também está passando por limpeza de bueiros na avenida Minas Gerais. Na Folha 28, Nova Marabá, homens estão trabalhando na limpeza da Grota Criminosa. Os moradores do Jardim Bom Planalto, entre a avenida Pará com a Travessa do Badeco, e no bairro Independência, na rua do Arame, também presenciam a limpeza de grotas. Nesta última, o serviço foi feito com o uso de máquinas. 

Felisbela Neto, que mora há sete anos no final da rua do arame, está satisfeita com o serviço do SSAM. Ela mora de frente à uma grota. A limpeza garante melhor escoamento da água. “Aqui quando não limpava, se chovesse a água subia até no batente, não tinha como passar, pra quem tem criança pequena, é difícil. Quando eles vêm limpar fica bom porque não enche tanto”, comenta a dona de casa. 

Vale ressaltar que as equipes do SSAM não param, todos os dias estão pelas ruas cuidando da limpeza da cidade seja na varrição, coleta de lixo domiciliar, coleta de entulhos, roço e capina, limpeza de valas, grotas e bueiros. De acordo com Odilon Cerqueira Leite, chefe de limpeza do SSAM, o cronograma é feito dia a dia e sempre baseado na necessidade de cada localidade.  

Para colaborar com a limpeza da cidade, que a população não jogue lixo nos canais porque causam alagamentos na rua e entupimentos de bueiros. É importante acondicionar bem o lixo em sacos para evitar ser espalhado pelo chão. Colocar o lixo para fora apenas no horário bem próximo da coleta, evitando a ação dos animais, que sujam a rua impossibilitando o serviço de coleta dos garis. Além disso, evitar jogar lixo em lugares inadequados. (Leydiane Silva / Fotos: Paulo Sérgio)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: SEMEL de pendenga com árbitros do basquete

Publicado

em

Árbitros que trabalharam em uma competição de basquete 3×3, em Parauapebas, na região de Carajás, estão chateador com a Secretaria Municipal de Esportes de Lazer, que teria deixado pendências com os profissionais.

Representantes do grupo alegam que aguardem desde o dia 23 de outubro uma solução para a situação, mas que recebe apenas os licencio do secretário, Leandro Gambetas e do adjunto Jorge Antônio Benício.

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Consulta Pública vai discutir implementação do Parque Natural Maria Bonita

Publicado

em

Com o objetivo de preservar o patrimônio natural do município, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), realizará no dia 16 de dezembro uma consulta pública para a criação da Unidade de Conservação Parque Natural Maria Bonita. O processo foi iniciado em 2014, com base em estudo desenvolvido pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).

Em Parauapebas, consta fragmentos remanescentes florestais, inclusive no perímetro urbano, que apresenta características relevantes para compor a Unidade de Conservação. A área proposta, localizada entre os bairros Alvorá e Nova Carajás. A criação da Unidade de Conservação tem capacidade de oferecer lazer e recreação para a sociedade com atrações que permitam o contato com a natureza, realização de atividade física e proporcionar o fomento do turismo em natureza local.   

Unidades de Conservação

O Estado do Pará possui 83 Unidades de Conservação, sendo 19 estaduais distribuídas no território de 32 municípios. As UC resguardam o habitat e o modo de vida dos povos tradicionais da floresta, protegem a biodiversidade e preservam o potencial econômico do bioma amazônico. Parauapebas tem três Unidades de Conservação federais e duas municipais. São elas: a Apa do Gelado, categoria de uso sustentável; Floresta Nacional de Carajás, categoria de uso sustentável, e Parque Nacional dos Campus Ferruginosos Carajás, categoria proteção integral. Já as Unidades de Conservação do município são: Apa do Igarapé Ilha do Coco, categoria de uso sustentável e do Parque Natural Municipal Morro dos Ventos, categoria de proteção integral.     

A criação de uma Unidade de Conservação em Parauapebas consta como meta da administração pública municipal, visando integrar a infraestrutura necessária para a preservação do bioma amazônico, desenvolvimento sustentável local, proteção da paisagem e fortalecimento das atividades de educação ambiental e produção científica.

Consulta Pública 

A consulta pública que discutirá pontos importantes para a criação da Unidade de Conservação Municipal “Parque Natural Maria Bonita”, ocorrerá no dia 16 de dezembro, às 10h, com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube e Facebook da Prefeitura de Parauapebas.

Estarão presentes, representantes da Semma, da Ufra, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e autoridades do executivo e legislativo.

A população irá poder interagir tirando as dúvidas, enviando as perguntas para o e-mail: [email protected] . Os  questionamentos serão respondidos durante a transmissão.

Maria Bonita

A Maria Bonita é uma ave passeriforme da família Rhynchocyclidae, conhecida também como papa-mosca-de-peito-preto, mede cerca de 11,5 centímetros de comprimento e pesa entre 8 e 9 gramas. É uma ave pouco conhecida, e trata-se de uma espécie rara. Durante a pesquisa a ave foi encontrada na região da Unidade de Conservação. (Marcelo Duarte)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze