Connect with us

Pará

Uepa vai propor ações ao Plano de Desenvolvimento do Xingu

Publicado

em

Expandir a graduação em setores de maior interesse da população (como a atenção básica à saúde), investir na capacitação e fixação de mão de obra qualificada na região e fortalecer a criação de um sistema de desenvolvimento regional sustentável, que use a tecnologia e a inovação para melhorar o aproveitamento dos recursos naturais, são algumas das propostas que serão apresentadas pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) ao Comitê Gestor do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS Xingu).

O objetivo é fortalecer o desenvolvimento social na região, durante o período de construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no município de Altamira, no oeste do Pará. Nesta terça-feira (17), o diretor de Planejamento da Uepa, Mário Brasil Xavier, junto com representantes dos centros de Educação (CCSE), Saúde (CCBS) e Tecnologia (CCNT), se reuniram com o coordenador Estadual do Comitê Gestor, Nicias Ribeiro, para apresentar propostas destinadas à região que será afetada pelas obras de Belo Monte.

Os projetos foram elaborados para atender especificamente às necessidades da Região do Xingu, visando oferecer ações que contribuam para o desenvolvimento local. “Todos os centros da Uepa estão articulados e trabalhando juntos para propor projetos nas áreas de Educação, Saúde e Tecnologia, que atendam às condicionantes do empreendimento, alavanquem o desenvolvimento regional e que estejam relacionados à missão institucional da universidade. O nosso objetivo é propor ações que levem ao enraizamento deste desenvolvimento sustentável na região”, afirmou Mário Brasil, que coordena na Uepa as propostas relacionadas ao PDRS Xingu.

Dentre os mais de 20 projetos que serão apresentados pela Universidade, no próximo dia 27 de julho, estão a expansão dos cursos de graduação nas áreas de Engenharia e Enfermagem em Altamira; a implantação de cursos de especialização para formar mão de obra qualificada e cursos com carga horária entre 30 e 80h, voltados às áreas de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Logística Reversa, Engenharia de Produção e Gestão do Conhecimento.

Além dos investimentos na formação de mão de obra qualificada, a Uepa prevê também a expansão de projetos em Saúde e Meio Ambiente – áreas que serão mais impactadas pelas obras -, e ações de inclusão social, digital e econômica, por meio da estruturação e do fortalecimentos das cadeias produtivas locais.

Investimento

O PDRS Xingu é um plano concebido pelo Governo Federal – e que será financiado pelo Consórcio Norte Energia, responsável pela construção da hidrelétrica – que tem o objetivo de apresentar propostas que ajudem a reduzir os impactos ambientais, econômicos e sociais na área de entorno da usina. Para os próximos 20 anos estão previstos mais de R$ 500 milhões em investimentos voltados ao desenvolvimento sustentável da Região do Xingu. Os recursos serão administrados por um Comitê Gestor interdisciplinar, que vai orientar programas, projetos e ações federais implantados na região. O prazo para apresentação de projetos neste primeiro edital termina em 31 de agosto.

“Eu vejo com muita alegria esta articulação e disposição da Uepa de propor ações dentro do PDRS Xingu. O Estado precisa ser inteligente para resolver todos os problemas históricos deixados pelo Governo Federal, ao longo dos anos, com aquela região, e esta é a nossa oportunidade de virar este jogo, garantindo o desenvolvimento e a sustentabilidade destes municípios”, afirmou Nícias Ribeiro.

Na reunião desta quarta-feira, o assessor de Planejamento da Secretaria Especial de Promoção Social, Augusto Menezes, disse que a Universidade deve ter um assento no Comitê Gestor do PDRS Xingu. Segundo ele, essa participação mais efetiva garantiria ao Pará uma contribuição mais técnica sobre as intervenções propostas nas áreas de Saúde, Educação e Tecnologia.

Mário Brasil lembrou que o campus da Uepa em Altamira tem forte presença na região, realizando ações nas áreas de Saúde, Meio Ambiente, Educação, Cultura e Cidadania. Até março de 2011, a Uepa em Altamira formou na Região do Xingu cerca de 400 profissionais de Educação Física, 250 professores de Matemática, 58 de Enfermagem e 100 em Ciências Naturais.

Esta não é a primeira parceria feita pela Uepa com a Norte Energia, visando investimentos nos municípios do entorno de Belo Monte. No ano passado foi assinado um convênio para implantação de residência médica, no Programa Saúde da Família em Altamira.

Também participaram da reunião o pró-reitor de Pesquisa, Juarez Quaresma, reitor em exercício; a pró-reitora de Extensão, Mariane Franco; o vice-diretor do CCBS, Emanuel Sousa; o vice-diretor do CCSE, José de Ribamar Carvalho; a vice-diretora do CCNT, Eliane Coutinho, e o diretor de Extensão, Osvando Alves.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Município e ANM assinam nesta quarta-feira Termo de Cooperação para regularização de mineradoras

Publicado

em

Buscando soluções que viabilizem empreendimentos minerários legalizados e sustentáveis, será assinado nesta quarta-feira, 13, o Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura de Parauapebas e a Agência Nacional de Mineração (ANM).

O evento será realizado no Hotel Vale dos Carajás, às 18h.

Em 22 de setembro a Prefeitura apresentou junto à ANM um documento com um plano de trabalho para indicar o interesse do município em firmar a parceria.


De acordo com o documento, o município coloca à disposição da ANM a equipe técnica da Secretaria Municipal de Mineração, Energia, Ciência e Tecnologia para contribuir com os processos de fiscalização da Contribuição Financeira por Exploração Mineral (Cfem) e de atividades de extração mineral, além de apoio em Processos Minerais.

“Segundo o cadastro da ANM, até dezembro de 2020, o município de Parauapebas registrava 761 Processos Minerais em todas as suas fases, desde requerimento até a autorização de lavra, representados por 197 pessoas físicas e jurídicas, com indicação de 29 substâncias minerais”, detalha o documento.

O município de Parauapebas tem longa experiência na fiscalização da Cfem, especialmente pelo trabalho desenvolvido desde 2007 em conjunto com o então Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), hoje ANM. Graças a essa sinergia, foram realizadas denúncias quanto à prática de preços externos da Vale S.A, que resultou no Processo de Cobrança nº 951.438/2009 e rendeu mais de meio bilhão de reais por meio da Execução Fiscal 0006181-37.2010.4.01.390.

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Gilson Fernandes pode ser um dos nomes de Bolsonaro para federal

Publicado

em

O nome do líder dos pequenos mineradores, Gilson Fernandes, vem ganhando força no meio bolsonarista na região de Carajás, para disputar uma cadeira de deputado federal em 2022.

Gilson está a frente da Federação Brasileira da Mineração e da Cooperativa Brasileira da Mineração, e vem desde 2015 ganhando protagonismo nas pautas conservadoras e políticas alinhadas ao presidente Bolsonaro.

Gilson tem se mantido reservado quanto a possibilidade de aceitar disputar uma cadeira de deputado federal, mas vem sendo incentivado por correligionários do setor mineral e conservador da região de Carajás.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Inscrições para a Corrida de São Félix de Valois iniciam dia 18

Publicado

em

As inscrições para a 11ª Corrida de São Félix de Valois começam no próximo dia 18 de outubro. O evento esportivo, que tem o apoio da Semel (Secretaria Municipal de Esporte) e da Paróquia do São Félix de Valois, é beneficente. Os interessados podem se dirigir até a Semel, localizada no Ginásio Poliesportivo “Renato Veloso”, a Folha 16, ou até a Academia Gol de Placa, na Folha 32, com um 1 pacote de fralda geriátrica ou 1 kg de leite de pó. Todos itens arrecadados serão doados para projetos sociais  indicados pela Paróquia e pela Prefeitura.  

Thyago Ferraz, coordenador da Semel, lembra que se trata de um evento de grande porte já inserido no calendário esportivo de Marabá. Cada participante receberá o kit do atleta com camisa, bolsa e squeeze (garrafa) antes da corrida. Para quem concluir a prova, que terá o percurso de 7 km, haverá premiação em medalha, como também premiação em dinheiro somente para os três primeiros vencedores da categoria masculina e feminina. Além disso, troféus para os três primeiros das categorias.

“Dessa forma, a Corrida do São Félix de Valois estará incentivando a prática de esporte de forma acessível, ao mesmo tempo que ajuda o próximo com as doações”, destaca Thyago Ferraz. A entrega do kit será no Partage Shopping, com data a definir. A largada e chegada será em frente a Paróquia São Félix de Valois, na Praça do Manduquinha, Marabá Pioneira. No final da prova, haverá também massagem desportiva e café da manhã para os participantes.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze