Connect with us

Pará

Viveiro com capacidade para produção de 75 mil mudas é montado em Marabá-PA

Publicado

em

Foi finalizada na última semana a montagem de um viveiro com capacidade para produção de 75 mil mudas, no campus III da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), localizada em Marabá. O trabalho foi desenvolvido pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor-bio).

A atividade é parte do acordo de cooperação técnica firmado entre o Ideflor-bio e a universidade, que tem como objetivo desenvolver ações conjuntas no campo da tecnologia, pesquisa e extensão, diante da necessidade de produção de mudas de espécies frutíferas, florestais, nativas ou exóticas, para implantação de projetos de pesquisa focados na recuperação de áreas alteradas ou degradadas na Região de Integração de Carajás.

A montagem do viveiro, com dimensões de 24×48 metros, construído em estrutura metálica, com sistema de irrigação por microaspersão (sistema de irrigação que requer baixa taxa de aplicação de água), teve a colaboração direta de alunos, professores e técnicos da Unifesspa, estagiários do escritório regional do Ideflor-bio de Carajás, além da equipe técnica do instituto, que também fornecerá insumos para o primeiro ciclo de produção de mudas, usando tubetes e sacolas plásticas.

Para o diretor de Desenvolvimento da Cadeia Florestal do Ideflor-bio, Benito Calzavara, com a instalação do viveiro, os alunos da universidade terão acesso a uma estrutura didática, onde poderão aprender e praticar a produção de mudas, inclusive em tubetes. “É também uma ferramenta que permitirá que as duas instituições possam desenvolver projetos conjuntos de produção de restauração florestal junto a agricultores familiares na região”, contou.

A parceria com a Unifesspa na produção de mudas representa uma oportunidade importante para que o Ideflor-bio possa desenvolver ações de fomento agroflorestal junto a agricultores familiares de Marabá e municípios vizinhos. O viveiro fortalecerá também a atuação das instituições no incentivo à recomposição ambiental nesta região do Estado, que historicamente tem sido degradada pelo uso desordenado dos recursos naturais, além de ser fundamental para associar o ensino, pesquisa e extensão, permitindo aos alunos desenvolver estágio e experimentações sobre sistemas produtivos junto a agricultores familiares da região, tendo como base as mudas produzidas neste viveiro.

Para Cleberson Salomão, responsável pelo escritório regional de Carajás do Ideflor-Bio, em Marabá, a proposta contida no acordo de cooperação técnica prevê que as mudas produzidas sejam direcionadas a atender essa demanda. “Esta é uma forma de contribuir com a formação de novos profissionais ligados à agricultura na região, como agrônomos e engenheiros florestais, dentre outros”, explicou. (Denise Silva)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Mesmo com 28 novos leitos para casos da Covid-19, UTI’s continuam lotadas

Publicado

em

Mesmo com o novo espaço da Ala Covid do Hospital Geral de Parauapebas (HGP), inaugurado na quarta, dia 7, os leitos UTI’s e Enfermaria Clínicos na rede publica de Parauapebas, na região de Carajás, Pará, seguem totalmente lotados.

O município passou a contar com 68 leitos exclusivos para casos de Covid-19, dos quais 28 são de UTI e 40 Enfermaria Clínica.

Segundo dados do Boletim Epidemiológico deste sábado, 10, a taxa geral de ocupação dos leitos é de 92%, sendo:

• Leitos de enfermaria SUS: 100%;
• Ocupação de UTI SUS: 100%;
• Taxa de ocupação de enfermarias particulares: 79%;
• Ocupação de UTI particular: 100%.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Após pressão do MP, Prefeitura reforça conscientização sobre protocolos de prevenção a Covid-19 no transporte público

Publicado

em

Com a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), locais onde podem ocorrer aglomeração causam preocupação nas autoridades de saúde. Pensando nisso, nesta semana, o Departamento Municipal de Trânsito Urbano (DMTU) realizou ações para mobilizar a população que utiliza o transporte público de Marabá sobre a importância da adoção de medidas preventivas contra a Covid-19 e o cumprimento de distanciamento social.

A ação de conscientização foi realizada em paradas de ônibus nos Núcleos Cidade Nova, Nova Marabá, Marabá Pioneira, Morada Nova e no Distrito São Félix.

Uma equipe do DMTU em parceria com agentes do Departamento Municipal de Segurança Patrimonial (DMSP), Guarda Municipal de Marabá (GMM) e Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) atuaram abordando condutores de transporte coletivo e passageiros.

Os usuários do transporte coletivo foram orientados a saírem de suas casas somente quando necessário e sobre os cuidados que precisam tomar ao utilizar o transporte público para evitar o contágio como usar máscara e higienizar as mãos com álcool em gel. Já os motoristas receberam orientação para evitar exceder a lotação máxima de vagas no interior do ônibus.

Paralelo a essa mobilização nos pontos de ônibus, os agentes fiscalizaram a saída e chegada dos veículos na garagem da empresa e monitorando o cumprimento dos protocolos sanitários entre os funcionários.

De acordo com o DMTU, as iniciativas têm gerado resultados, reduzindo o fluxo de aglomeração nos pontos de parada de ônibus.

“A nossa presença nas ruas é para garantir a segurança de todos e inibir comportamentos inadequados que possam comprometer vidas”, destaca o diretor do DMTU, Jocenilson Souza.

“O momento é desafiador e exige, sobretudo, muito cuidado e prevenção. Dias melhores virão”, finaliza o diretor. (Ronaldo Palheta)

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Hospital Municipal recebe doação de mais 25 cilindros de oxigênio

Publicado

em

25 cilindros com capacidade de 10 m³ para oxigênio medicinal foram doados pela Sinobras, em forma de comodato, na tarde desta quinta-feira (08), para a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Os insumos serão utilizados no atendimento aos pacientes internados no Hospital Municipal de Marabá (HMM), na ala covid, onde a demanda de oxigênio aumentou. A empresa já havia realizado a entrega de outros 10 cilindros em maio do ano passado.

A doação, que funciona como empréstimo até o fim da pandemia, foi conseguida com a Sinobras, por intermédio da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração de Marabá (Sicom), como destaca o titular da pasta, Ricardo Pugliese.

“Como não declaramos estado de calamidade no município, temos de cumprir todas as normas para a aquisição de qualquer coisa que seja, mesmo para a saúde, para que aja regularidade nas compras que são feitas. Isso demanda tempo para que se consiga. Por isso, procuramos a empresa. Ela tem essa possibilidade de suprir rapidamente e nos ajudar. Queremos agradecer também Air Liquide que nos ajudou a encontrar os cilindros e ressaltar a importância dessas chamadas empresas sociais”, pontuou.

25 cilindros com capacidade de 10 m³ para oxigênio medicinal foram doados pela Sinobras, em forma de comodato, na tarde desta quinta-feira (08), para a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Os insumos serão utilizados no atendimento aos pacientes internados no Hospital Municipal de Marabá (HMM), na ala covid, onde a demanda de oxigênio aumentou. A empresa já havia realizado a entrega de outros 10 cilindros em maio do ano passado.

A doação, que funciona como empréstimo até o fim da pandemia, foi conseguida com a Sinobras, por intermédio da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração de Marabá (Sicom), como destaca o titular da pasta, Ricardo Pugliese.

“Como não declaramos estado de calamidade no município, temos de cumprir todas as normas para a aquisição de qualquer coisa que seja, mesmo para a saúde, para que aja regularidade nas compras que são feitas. Isso demanda tempo para que se consiga. Por isso, procuramos a empresa. Ela tem essa possibilidade de suprir rapidamente e nos ajudar. Queremos agradecer também Air Liquide que nos ajudou a encontrar os cilindros e ressaltar a importância dessas chamadas empresas sociais”, pontuou.

Vale ressaltar que o HMM é autossuficiente na produção de oxigênio já que que mantém uma fábrica dentro do hospital. O sistema produz 20 metros cúbicos (20m³) de oxigênio (O2) por hora e é interligada direto na rede hospitalar suprindo a necessidade de consumo da casa de saúde. Os gases são distribuídos por meio de tubos para os leitos. No entanto, na ala da covid, montada em caráter de urgência, o abastecimento é feito por meio dos cilindros. Por isso, os equipamentos doados serão muito úteis na ampliação do atendimento aos pacientes de covid-19. Atualmente Marabá dispõe de 62 leitos para os infectados, 31 deles funcionam nesta ala.

“Na verdade, hoje temos um hospital dentro de outro hospital. Temos dois hospitais, o HMM e o anexo que a gente fez que é a ala de covid. Nesse momento a ala tem muitas mais pessoas que nos leitos do HMM. Esses cilindros servirão para gente fazer esse trabalho. Então essa parceria [com a Sinobrás] é muito importante. A gente vê que todo mundo tem dado as mãos para combater essa doença que tem se alastrado e tirado muitas vidas”, observa o secretário de saúde Valmir Moura.

O gerente de suprimentos da Sinobras, Raynner Caldeira, enfatiza a parceria que tem mantido com a prefeitura neste momento de pandemia.  

“É a terceira vez que a gente tem conseguido contribuir com a prefeitura. Nesse momento estamos trazendo esse insumo tão importante. A gente sabe da dificuldade que o município está passando, inclusive nós, como indústria estamos paralisando algumas frentes de trabalho, por falta de oxigênio. Então temos um prazer muito grande em conseguir adquirir esses novos cilindros exclusivamente para atender essa demanda da prefeitura”, afirma o gerente.  

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze