Connect with us

Pará

Votorantim Cimentos inaugura fábrica em Primavera-PA

Publicado

em

Fábrica de cimentos da Votorantim Cimentos em Primavera PA

A Votorantim Cimentos inaugurou, no dia 23 de junho, uma nova fábrica no Estado do Pará, no município de Primavera. A unidade terá capacidade de produção de 1,2 milhão de toneladas de cimento por ano, da marca Poty, e abastecerá o mercado das regiões Norte e Nordeste. A instalação da nova fábrica reforça a solidez e a capilaridade da empresa, que se posiciona em mercados estratégicos e com alto potencial de crescimento.

Participaram da solenidade de inauguração, o governador do Pará, Simão Jatene, a prefeita de Primavera, Cleuma Maria Bezerra de Oliveira; Walter Dissinger, presidente da Votorantim Cimentos, e Fabio Ermírio de Moraes, membro do Conselho de Administração da Votorantim S.A., além de outras autoridades.

Com investimento estimado em R$ 860 milhões, a fábrica de Primavera foi construída com a mais moderna tecnologia e em sintonia com os Pilares de Sustentabilidade da Votorantim Cimentos. “A fábrica de Primavera é parte de um importante plano de investimento da Votorantim Cimentos. Mesmo diante do cenário desafiador, seguimos em frente com a visão de longo prazo e a confiança no desenvolvimento do país e principalmente da região Norte”, explica o diretor-presidente da Votorantim Cimentos, Walter Dissinger.

“Nosso objetivo é trazer investimentos para gerar ainda mais crescimento para o Estado. Os empreendimentos que vêm para o Pará com a perspectiva de agregar valor aos nossos recursos naturais, de verticalizar a produção e de transformar cada vez mais as nossas riquezas aqui mesmo, precisam ser festejados. A cada dia mais eu me convenço que o caminho para enfrentarmos a pobreza e a desigualdade é através do aumento da produção, do emprego e da geração de renda”, afirma o governador Simão Jatene sobre a inauguração da fábrica da Votorantim Cimentos no Pará.

“O município recebe de braços abertos a fábrica da Votorantim Cimentos, que chegou para fortalecer ainda mais a economia da região, gerar mais emprego e elevar a renda”, comemora a prefeita Cleuma Maria Bezerra de Oliveira. “O Grupo Votorantim é conhecido nacionalmente não apenas pela qualidade dos produtos que fabrica, mas também pelo senso de responsabilidade social que sempre demonstrou”, ressalta.

A Votorantim Cimentos também investe na mão de obra local e valoriza os talentos da região, oferendo cursos de qualificação profissional e capacitação técnica. Durante a fase de construção da fábrica, foram gerados 1,2 mil postos de trabalho. Com o início da operação, são gerados 270 empregos diretos e indiretos, dos quais 80% são paraenses.

Desenvolvimento local – Além de incrementar a geração de emprego e renda, a Votorantim Cimentos reforça seu compromisso de longo prazo, investindo no desenvolvimento socioeconômico de Primavera. A Empresa tem reforçado suas diretrizes de responsabilidade social, por meio de investimentos sociais voluntários e também por meio do Acordo de Cooperação Técnica, assinado em 2011 entre a Votorantim Cimentos, Instituto Votorantim e Prefeitura Municipal, envolvendo ações nas áreas de infraestrutura pública, planejamento urbano, saúde, educação e qualificação da gestão pública municipal, além de fomento a cadeias produtivas.

Por meio das iniciativas previstas no Acordo e de seu Plano de Investimento Social Externo, a Votorantim Cimentos mantém investimentos superiores a R$ 10 milhões no município. Entre eles, a reconstrução de uma nova estrutura para a Biblioteca Municipal Ruth Passarinho e a reforma e ampliação das escolas municipais José Pereira Gomes e Manoel Antonio Leite, todas entregues para a população em 2015. A construção do Centro Municipal de Saúde, com capacidade de seis mil atendimentos mensais, também é um compromisso firmado por meio do Acordo. O empreendimento será inaugurado no segundo semestre de 2016.

Além disso, a Votorantim Cimentos disponibilizou uma ambulância para a cidade e investiu na elaboração do Plano Diretor Municipal, por meio do programa Apoio à Gestão Pública. Integra ainda o Acordo de Cooperação Técnica o programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE), que visa contribuir para a melhoria da educação pública nos municípios nos quais a Votorantim Cimentos atua. Já o programa VIA tem como proposta contribuir para a melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes, em situação de vulnerabilidade social.

Para fomentar o desenvolvimento das pequenas cadeias produtivas, a Votorantim Cimentos de Primavera criou, por meio do Acordo, uma cooperativa agrícola para aprimorar as condições de trabalho e geração de renda para os agricultores familiares da Cooperativa de Agricultores Familiares de Primavera (Cooprima). A Votorantim Cimentos estimula também a qualificação das mulheres da Associação das Famílias

Unidas de Jabaroca – Flor do Campo, por meio de cursos de capacitação para as associadas aperfeiçoarem a produção artesanal de peças em cerâmica.

Na Votorantim Cimentos, a sustentabilidade é inerente aos negócios e permeia seu plano estratégico. A empresa acredita que é preciso construir relacionamentos de longo prazo e agir de forma ética e transparente, respeitando as necessidades presentes e futuras da sociedade.

Sobre a Votorantim Cimentos

Presente no negócio de materiais de construção (cimento, concreto, agregados e argamassas) desde 1933, a Votorantim Cimentos é uma das maiores empresas globais do setor, com capacidade produtiva de 56,8 milhões de toneladas de cimento/ano. A Votorantim Cimentos possui unidades estrategicamente localizadas próximas aos mais importantes mercados consumidores em crescimento e está presente em 14 países: Brasil, Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, China, Espanha, Estados Unidos, Índia, Marrocos, Peru, Tunísia, Turquia e Uruguai.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

“Novo Cangaço” volta a atacar no Pará

Publicado

em

Uma quadrilha tomou as ruas de Cametá, no interior do Pará, a 235 km de Belém, no começo da madrugada desta quarta-feira (2), para assaltar bancos. Moradores relataram em redes sociais uma noite de terror. Um morador da cidade identificado como Alessandro de Jesus Lopes foi morto pelos assaltantes após ser feito de refém.

A ação tem características semelhantes à registrada em Criciúma, no Sul de Santa Catarina, na madrugada desta terça (1º), em que uma quadrilha também fez ataques pelo município em ação para assaltar uma agência bancária.

Assim como ocorreu em Criciúma, a quadrilha que atacou Cametá também usou reféns como escudos para se locomover pelas ruas da cidade. As pessoas foram capturadas em bares. Os criminosos atiraram para cima durante mais de uma hora. O grupo usou armas de alto calibre e explosivos.

Um quartel da Polícia Militar (PM) foi atacado, impedindo a saída dos policiais. Esse método também foi utilizado pelos homens que levaram terror a Criciúma.

“Muita gente estava assistindo ao jogo, os bares estavam lotados”, diz Márcio Mendes, morador da cidade, em entrevista a GloboNews. “Renderam as pessoas e levaram para frente da base da Polícia Militar.”

Ao menos 2 agências bancárias foram atacadas, segundo relatos de moradores. Uma, do Banco do Brasil, fica no prédio da Câmara dos Vereadores e ficou destruída. A outra é do Banpará, o banco estadual.

Os bandidos deixaram a cidade por volta de 1h30. Segundo a PM, o grupo fugiu usando carros e barcos – a cidade fica às margens do Rio Tocantins. Ainda não se sabe o que foi levado, qual é o tamanho da quadrilha e se alguém foi detido.

Por volta das 2h, o prefeito da cidade pediu que as pessoas ficassem em casa. “Nossa cidade sempre foi pacífica”, escreveu Valente.

Cametá é uma das 10 maiores cidades do Pará, com cerca de 136 mil habitantes, segundo o IBGE.

O governador Helder Barbalho (MDB) disse que acompanha o caso.

“Já estou em contato com a cúpula da segurança pública do Estado acompanhando as providências que estão sendo tomadas neste episódio, no município de Cametá. Não mediremos esforços para que o quanto antes seja retomada a tranquilidade e os criminosos sejam presos. Minha total solidariedade ao povo cametaense”, escreveu governador.

Em 2020, o estado registrou ao menos dois outros assaltos semelhantes: um em Ipixuna do Pará, em 30 de janeiro, e em São Domingos do Capim, em 3 de abril. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, “praticamente todos os envolvidos” foram presos.

Cametá está localizada às margens do Rio Tocantins, próximo à Ilha do Marajó, no Norte do estado. O acesso à cidade não é considerado fácil. Muitas pessoas usam barcos pela região.

Continue lendo

Pará

REDENÇÃO: Operação Seguro Fake apura fraudes em benefícios do seguro desemprego

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã de terça, 1, a Operação Seguro Fake II, que visa apurar esquema de fraudes ao seguro desemprego, e outros benefícios sociais, no Pará.

Foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Belém, a maioria deles relacionados a alvos localizados na cidade de Redenção/PA, sendo um dos  mandados cumprido em Palmas/TO. A Justiça determinou também a indisponibilidade de bens de quatro alvos, para fins de ressarcimento dos prejuízos causados à Fazenda Pública, que comprovadamente já ultrapassam o valor um milhão de reais.

Os crimes investigados são o estelionato previdenciário (art.171, parágrafo 3, do Código Penal), inserção de dados falsos em sistema de informação (art.313-A do Código Penal) e organização criminosa (art.2, caput, da Lei n° 12850/2013).

Continue lendo

Pará

DOM ELISEU: Mais de 106 mil latas de cerveja

Publicado

em

Equipe de fiscalização da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) apreendeu, na madrugada deste domingo (29), 106.656 latas de cerveja, na unidade de Coordenação de Mercadorias em Trânsito do Itinga, no município de Dom Eliseu, na região de Carajás, no estado do Pará, na divisa com o Maranhão.

A carga foi localizada em um caminhão oriundo do Centro-Oeste do Brasil com destino ao município de São Sebastião da Boa Vista, no Arquipélago do Marajó. O transportador apresentou nota fiscal incompatível com a mercadoria. A equipe de fiscalização vistoriou a carga e encontrou as latas da bebida, com valor estimado em R$ 255 mil.

O imposto e a multa totalizaram R$ 85.741,30. Com esta apreensão, a unidade de controle de mercadoria em trânsito do Itinga somou 300 toneladas de bebidas apreendidas em um ano, por

Continue lendo
publicidade Bronze