Connect with us

Bico do Papagaio

WANDERLÂNDIA: Executores confessos de pedagoga vão a júri popular

Publicado

em

Foram a julgamento no fórum de Wanderlândia os acusados de serem os executores da pedagoga Mauricele Saraiva Cunha Barros, 36 anos, morta após um falso sequestro, em dezembro de 2007. Os acusados são o pai de santo Reinaldo Resplandes Sobrinho, o pintor Welson Ivone Alves da Silva e o operador de máquinas Gildemar da Silva Guimarães, cuja idades não foram divulgadas, e que foram levados a júri popular pelos crimes de porte ilegal de arma, homicídio qualificado e envenenamento. Eles são réus confessos. Até o fechamento desta edição, o julgamento ainda não havia terminado.

Participavam do julgamento dois promotores de Justiça do Ministério Público Estadual (MPE-TO), Luciano Casarotti e Décio Décio Gueirado, e os advogados dos acusados Miguel Vinícius e Paulo Roberto. Ao todo foram ouvidas apenas duas testemunhas arroladas no processo, sendo um deles o delegado, Rérisson Macedo e um agente de Polícia Civil não identificado. O juiz José Carlos Tajra Reis Júnior presidia o júri. No local, cerca de 30 pessoas parentes da vítima e dos acusados assistiam ao julgamento de um processo que contabiliza 13 volumes e mais de 3 mil páginas.

Entenda

A pedagoga Mauricele Saraiva Cunha Barros foi morta depois de ser vítima de um falso sequestro, no dia 24 de dezembro de 2007. O corpo da pedagoga foi encontrado amarrado dentro de um porta-malas de um carro, três dias depois do crime, numa estrada de terra, a poucos quilômetros de Wanderlândia. O corpo foi encontrado também com um tiro na cabeça. Passado um mês do crime, Aldemir Guimarães Nascimento, Enedina Barros Nascimento e Cláudia Barros Nascimento, respectivamente, o sogro, a sogra e a cunhada de Mauricele, foram presos acusados de planejar a morte de Mauricele e condenados no dia 3 de maio do ano passado. As penas foram de 30 anos para Enedina e Cláudia e de 26 anos e oito meses para o sogro da pedagoga. Eles foram condenados pelo crime de homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo. A pedagoga deixou duas filhas, uma de 15 e outra de seis anos de idade. (Weberson Dias – Jornal do Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

ANANÁS: Polícia indicia suspeito de matar homem bêbado em bar com golpes na cabeça

Publicado

em

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 18ª Delegacia de Ananás, concluiu nesta quinta-feira, 26, o inquérito policial instaurado para apurar as causas da morte de Antônio Marcos Sousa Coelho, de 34 anos, de idade, fato ocorrido na tarde do dia 17 de março de 2019, em um bar no centro daquela cidade.

De acordo com o delegado-chefe da 18ª DP, Teofábio Siqueira Siqueira, no decorrer das investigações realizadas pelas equipes daquela unidade policial, ficou comprovado que o crime foi cometido, em tese, por um indivíduo de 34 anos de idade que se aproveitou do fato de a vítima estar embriagada e desferiu golpes na cabeça com um pedaço de madeira, fato que ocasionou a morte de Antônio Marcos, no dia 27 de março, no Hospital Regional de Araguaína, dez dias após ter sido atacado pelas costas.

Ainda de acordo com a autoridade policial, com o encerramento das investigações e o indiciamento do principal suspeito, que se encontra foragido, desde a época dos fatos, o inquérito foi remetido ao Poder Judiciário e ao Ministério para a realização das providências legais cabíveis.

O crime

Na tarde do dia 17 de março de 2019, por volta das 9h, o suposto autor, juntamente com alguns amigos estava em um bar no centro de Ananás, onde ingeria bebidas alcoólicas. Por volta das 12h, a vítima chegou ao local e se juntou ao suspeito e seus companheiros. Algum tempo depois, a vítima, já bastante alterada, se levantou para ir embora, quando foi chamada pelo autor para conversar nos fundo do bar.

Nesse momento, conforme apontaram as investigações da Polícia Civil, o suspeito se armou com um pedaço de madeira com pregos e desferiu golpes nas costas e na cabeça de Antônio Marcos, que caiu desacordado. Ainda de acordo com a Polícia Civil, as agressões só cessaram porque o autor foi impedido por populares. Logo após os fatos, a vítima foi socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal de Ananás, mas devido à gravidade dos ferimentos foi levada para o Hospital Regional de Araguaína, onde veio a falecer dez dias depois. O principal suspeito encontra-se foragido. (Rogério de Oliveira)

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Fiscais da Adapec participam de treinamento

Publicado

em

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) que atuam, nesta semana, nas barreiras fixas e volantes da regional do órgão de Araguatins, participam de um treinamento sobre nivelamento de trânsito de produtos vegetais.

De acordo com inspetor de defesa agropecuária, Grin Miranda Costa, o objetivo do treinamento é melhorar a atuação dos fiscais na área vegetal, bem como a padronização dos procedimentos realizados na fiscalização do trânsito vegetal em todo o Tocantins.

“Esse treinamento vem ocorrendo mensalmente, nas principais barreiras fixas do Estado. Nele, acompanhamos, na prática, o dia a dia dos fiscais na barreira, onde são feitas as orientações pertinentes ao trânsito vegetal”, explicou Grin Miranda.

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas no Bairro Vila Cidinha é preso

Publicado

em

A Polícia Militar prendeu nessa quarta, 25, um homem de 20 anos, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas no Bairro Vila Cidinha, em Araguatins, no Bico do Papagaio. Em poder do indivíduo que já possui passagem pela polícia por tráfico de entorpecentes, a PM apreendeu diversas porções de substâncias análogas à maconha, pedra de crack e embalagens para a venda da droga.

A prisão foi feita pela equipe de Força Tática do 9º Batalhão da PM (9º BPM) durante a realização de patrulhamento naquele local. Os policiais se deparam com o autor e resolveram abordar o indivíduo. Parte da maconha foi localizada em poder do suspeito, o restante do entorpecente foi apreendido em uma residência indicada pelo acusado. A droga estava escondida no interior de um cesto de roupas.

Ao todo os policiais apreenderam quase 70 gramas de maconha, 20 gramas de crack e nove embalagens que seriam utilizadas para a comercialização dos entorpecentes. O autor e a proprietária da casa, 28 anos, onde a droga estava escondida, foram juntamente com os objetos conduzidos à Delegacia de Polícia para as demais medidas a serem tomadas.

Continue lendo
publicidade Bronze