Uma ação de combate à criminalidade, deflagrada por policiais civis da Delegacia de Xambioá, sob o comandado do delegado José Antônio da Silva Gomes, resultou na prisão de um indivíduo de 37 anos de idade, o qual é suspeito de ameaçar, agredir e impedir os próprios pais idosos de entrarem em sua residência.

De acordo com o delegado, a ação foi realizada na manhã desta sexta-feira, dia 7, Na localidade denominada Projeto de Assentamento Caçador, situado na zona rural de Xambioá. A operação policial objetivou dar efetivo cumprimento a medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha ao casal de idosos.

Segundo o Delegado, o caso é emblemático e retrata a situação lamentável de um casal de idosos que há mais de uma semana estavam sendo impedidos de entrarem em sua residência em razão de que o agressor, o filho, de 37 anos os ameaçava. Conforme o delegado, a mãe de 74 anos e o padrasto de 76 anos criaram o agressor desde os nove anos de idade e estavam sendo ameaçados e impedidos de entrarem na casa. “Por isso solicitaram as medidas protetivas de urgência”, informou o Delegado, explicando que o agressor encontrava-se foragido num local de mata adjacente à residência na área rural.

Na manhã desta sexta-feira, os agentes da Polícia Civil chegaram ao local às 5h, porém não o encontraram. Em seguida, os policiais receberam informação da Polícia Militar de que o indivíduo procurado estava em um bar na cidade, local onde acabou sendo capturado e conduzido à Cadeia Pública.

Durante o levantamento dos dados do agressor, a autoridade policial verificou que contra ele havia também um mandado de prisão em aberto por ter descumprido as regras do regime semiaberto. O agressor já havia sido condenado pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte), e cumprido pena no presídio Barra da Grota, em Araguaína.

Após os procedimentos legais cabíveis, o homem foi recolhido à Cadeia Pública de Xambioá, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Segundo o delegado José Antônio, a ação foi muito satisfatória, uma vez que pôde restabelecer o direito do casal de idosos de habitar a própria residência. “A prestação jurisdicional em conjunto com a ação policial permitiu que, hoje Dona Maria, de 74 anos voltasse à sua residência. Ela relatou que embora bem hospedada na casa de uma amiga, estava muito triste por não poder estar em sua casa. Informou ainda que faz um tratamento para depressão em decorrência das ameaças sofridas”, disse o delegado. (Rogério de Oliveira)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.