- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 22 / fevereiro / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ARAGUATINS: Câmara Municipal tem organização processual elogiada por auditoria do TCE

Mais Lidas

Em dia de conclusão dos trabalhos de campo, os auditores do TCETO fizeram a última reunião com a equipe da Câmara Municipal de Araguatins na sexta-feira, 24, antes de deixarem a cidade para a sede da corte de contas. Na ocasião, os auditores, coordenados por Jardson Costa, parabenizaram os servidores e a gestão da Câmara Municipal, especificamente pela forma como se dá a organização dos processos administrativos de compra, aquisição de bens e contratação de serviços.

Para Miguel do Cajueiro, presidente da Câmara “receber a informação de que estamos no caminho certo, ainda mais vindo do órgão que nos fiscaliza, é motivo de muita satisfação, embora ainda tenhamos que acertar em outros aspectos, que também foi falado, não mediremos esforços para conduzir nosso mandato em prol do povo e com muita responsabilidade”, finalizou Cajueiro.

Além do aspecto documental, os auditores pontuaram a necessidade de a Câmara Municipal, assim como todo e qualquer órgão que manuseia dinheiro público, promover um controle de estoque/almoxarifado mais consistente e coerente com a realidade, deixando evidente e de clara percepção, como se dá a execução dessas despesas com aquisições de materiais. Segundo Carlos Ricardo, contador da Câmara, “a existência de um controle de almoxarifado eficiente, na grande maioria das vezes, é mais importante do que a própria aquisição, já que a destinação final do que se compra, é que deve ser comprovada para efeito da aplicação correta do recurso público”.

Durante todos os dias da auditoria, o diretor de Controle Interno da Câmara, Wanderson Silva, foi o elo de ligação entre os auditores e a Câmara, ou seja, as informações eram solicitas e repassadas sempre que solicitadas por ele. Na visão de Wanderson “o tribunal de contas tem um papel fundamental na construção de uma gestão correta, porque não está apenas no campo da punição, mas também agindo de forma pedagógica, orientando e tirando dúvidas sobre como devem ser instruído os processos”.

Vale lembrar que a auditoria do TCE esteve durante duas semanas fazendo coleta de documentos e informações sobre a execução de despesas, acompanhamento de programas do governo e levantamento de dados inerentes a gestão governamental dos poderes legislativo e executivo. A continuidade deste trabalho se dará com o olhar minucioso na sede do tribunal de contas, com a verificação dos processos e, em seguida, com a conclusão do relatório que tem prazo para finalizar no início de 2024. (Ascom Câmara)

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias