- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 20 / junho / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ARAGUATINS: Em nota oficial, Rafael Oliveira contesta requerimento da Câmara sobre gastos no SEMUSA

Mais Lidas

Na última segunda-feira, dia 6 de maio de 2024, durante a sessão da Câmara Municipal de Araguatins, o vereador Miguel do Cajueiro, do MDB, apresentou um requerimento de convocação visando esclarecer os gastos relacionados ao uso de combustível e à aquisição de canos durante nos últimos meses da gestão de Rafael de Assunção Oliveira como superintendente do Serviço Municipal de Saneamento (SEMUSA).

Segundo o vereador Miguel do Cajueiro, é fundamental garantir a transparência em todos os atos dos servidores públicos, motivo pelo qual foi feito o requerimento para elucidar eventuais dúvidas e garantir a prestação de contas à população de Araguatins.

Em resposta às alegações, Rafael de Assunção Oliveira, emitiu uma nota oficial, comentando sobre as atividades realizadas durante sua gestão. Ele destacou iniciativas como a modernização dos serviços digitais, investimentos na infraestrutura física, perfuração de poços artesianos, construção de usina solar, entre outras ações voltadas para o bem-estar da comunidade araguatinense.

Rafael Oliveira ressaltou que todos os recursos utilizados foram provenientes da arrecadação da taxa de água, não havendo, segundo ele, qualquer irregularidade nos gastos realizados.

“Assim, com todas distorções ceifadas, comprovadamente foram
utilizados milhares de metros de canos, tanto na instalação hidráulica na Vila Madalena, como na utilização com a perfuração dos poços artesianos, alinhados a centenas de horas máquinas para escavação de ruas e a utilização de geradores movidos a combustíveis fosseis, tudo para que o sistema estivesse funcionando como está atualmente, atendendo a comunidade araguatinense tanto da zona urbana como rural”, diz Rafael em trecho da nota.

Ele continua, “Saliento ainda, oportunamente, que todas implementações e melhorias no sistema foram aplicadas e utilizados com recursos próprios, frutos da arrecadação dos contribuintes com pagamento da taxa de água. Portanto, descabida qualquer imputação, meramente subjetiva, pois não há nenhum critério legal ou científico para tal alegação. Continuo comprometido em continuar trabalhando incansavelmente para servir melhor nossa comunidade e promover o desenvolvimento sustentável em nossa região”.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias