- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 14 / junho / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ARAGUATINS: Explorando as belezas do Araguaia e Tocantins, caiaqueiros fazem passeio até Marabá

Mais Lidas

Na manhã do último sábado, 29, sete integrantes do grupo expedicionários de caiaques “Sem Remo, Sem Rumo”, desembarcaram do Cais do Porto de Araguatins, no Bico do Papagaio, com destino a Marabá, na região de Carajás, no Pará, percorrendo os rios Araguaia e Tocantins, aportando no destino final, na segunda, dia 1ª.

De acordo com o caiaqueiro, Eucleber Ferreira Amaral, esta foi a 5° expedição de caiaqueiros de Araguatins, uma das maiores experiências fluviais e turística da região Norte do Tocantins.

Já os caiaqueiros Zé Filho Coimbra e Beijiumon da Silva Melo, destacaram que além dos inúmeros atrativos, o grupo se deparou com a tríplice divisa, onde se encontram o Bico do Papagaio (Tocantins), Pará e Maranhão, o tão conhecido “Encontro das Águas”, onde o Araguaia desagua no Tocantins.

Iderlan Borges Pinheiro e Paulon Labre Miranda, convergem que o encontro das águas entre os Rios Araguaia e Tocantins, a imensidão de ilhas ao longo do percurso, as corredeiras do São João e a chegada em Marabá são apenas detalhes, diante de inúmeros deslumbramentos ao longo das margens dos rios.

O caiaqueiro Victor Borges também falou sobre sua experiência. “A sensação de navegar no Araguaia e no Tocantins em locais desconhecidos por alguns, nos conecta com a criação e o criador do universo, onde através da imensidão das águas percebemos que no princípio do mundo o todo era água e inúmeras maravilhas foram acrescentadas. No singular, é você, o Araguaia e Deus. É enxergar a beleza nos voos rasantes das gaivotas, é ouvir e ver o mergulho dos botos. Você compreende de perto as maravilhas feitas por Deus e ratifica que a maturidade vem com todas estas experiências no currículo da vida…O melhor da vida é vivenciar isto com o ” Sem Remo Sem Rumo”, onde todos passamos a ter a mesma identidade, cada um com suas características, pois somos todos caiaqueiros, uns com mais experiências, outros superando as remadas, e outros aprendendo os caminhos. O detalhe está na força interna e a hombridade que cada um, carrega consigo, pois você nunca está sozinho com os caiaqueiros. Os laços criados e mantidos ao longo das caicadas, não se restringem apenas a última viagem, todavia, estabelece uma conexão para as próximas planejadas. E assim, vamos navegando sem remo sem rumo até o próximo destino”.

Os caiaqueiros Ilson Carneiro “Panda”, Zé Filho Coimbra e Iderlan, foram os mais experientes na expedição, devido o reconhecimento do trajeto, pois dependendo do nível da água os percursos precisam ser replanejados.

O grupo de caiaqueiros agradeceram o apoio de amigos que não puderam ir, os familiares que torceram e vibraram com a chegada, a comunidade ribeirinha, os amigos que acolheram nós pontos de apoio e a comunidade de São João do Araguaia-PA, dizendo que todos foram essenciais para que a descida e aventura tivesse êxito. 9Com informações de Victor Fernandes Borges e Elisvan Lopes)

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias