- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 19 / abril / 2024

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ESPERANTINA: Pastor tenta usar “sonho profético” para ter relações sexuais com adolescente da igreja

Mais Lidas

Por importunação sexual majorada, um pastor de Esperantina, no extremo norte do Tocantins, foi indiciado nesta quinta -feira, 27, após o trabalho investigativo da Polícia Civil, conduzido pela 7ª Delegacia de Polícia de Esperantina. A vítima é menor de idade e congregava na mesma igreja do pastor.

De acordo com as investigações, o pastor, valendo-se de sua autoridade eclesiástica, bem como das facilidades que as funções religiosas lhe conferiam, passou a se aproximar intimamente de uma adolescente que frequentava ativamente a sua igreja. Após ganhar a confiança da menor, passou a ter um comportamento lascivo e libidinoso quando estava a sós com a vítima.

O Delegado Jacson Wutke afirmou que “todas essas tentativas por parte do pastor foram prontamente rejeitadas. Foi aí que, então, o religioso tentou recorrer para fé da adolescente, afirmando que teria sido abençoado com um sonho em que mantinha relações sexuais com a menor e que, agora, caberia a eles concretizar esse sonho.”

Após essa última tentativa, a adolescente procurou a sua mãe e avó para lhes confidenciar a situação que estava passando. As responsáveis pela menor chamaram o pastor para conversar reservadamente, momento em que o religioso chegou a confirmar o sonho, tendo até mesmo questionado sobre “quem não se apaixonaria por uma menina bonita assim”.

“É importante que os pais conversem com os seus filhos sobre situações envolvendo o abuso e a violência sexual. É preciso falar sobre o assunto. Muitas vezes o perigo está onde menos se espera, como por exemplo, dentro da igreja – um lugar sinônimo de fé, respeito e acolhimento. É comum que os predadores sexuais sejam socialmente considerados como pessoas virtuosas, longe de qualquer suspeita. Cuidado nunca é demais”, alertou a autoridade policial.

Na decisão de indiciamento, a autoridade policial imputou ao pastor o crime de importunação sexual majorada pela autoridade eclesiástica que possuía em relação à vítima. Se condenado, a pena máxima pode chegar a mais de sete anos de reclusão.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias