- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 13 / junho / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

PALMAS: Município caminha para ser a capital mais alfabetizada do Brasil

Mais Lidas

Garantir o acesso à educação de qualidade dos palmenses é uma das prioridades da gestão municipal. Em Palmas, ações para o letramento e alfabetização das crianças, jovens e adultos somados aos investimentos na área da Educação Infantil colocam a cidade como uma das capitais que mais alfabetizam no Brasil. Portanto, a capital do Tocantins sai, mais uma vez na frente, em relação ao Compromisso Nacional Criança Alfabetizada, lançado nesta última segunda-feira, 12, em Brasília (DF), pelo Governo Federal. 

Com a ação firmada pelo Governo Federal com estados e municípios, mais investimentos serão destinados às cidades, inclusive para Palmas. O recurso inicial de R$ 800 milhões chegará às cidades para implementar novos projetos que tenham o foco na garantia do direito à alfabetização. 

Entendendo que a alfabetização é parte da educação básica e que, por lei, é de responsabilidade dos municípios, com apoio dos estados e da União, a rede de ensino público da Capital compôs um grupo de técnicos especialistas, que desde 2021 vem construindo de forma colaborativa currículos específicos para a alfabetização e letramento dos dois primeiros anos do Ensino Fundamental, que têm sido destaques em rede nacional pela produção minuciosa de conteúdos. A previsão é que até o final de 2023 os novos documentos já sejam implementados em toda a rede de ensino. 

A pedagoga da rede e mestre em Linguística Fátima Borges, que coordena a equipe de professores da Secretaria Municipal da Educação (Semed) na elaboração deste novo currículo, explica que estes documentos que pontuam os desdobramentos das habilidades e indicadores de monitoramento vão ajudar a orientar os professores no planejamento, bem como na construção dos diagnósticos de monitoramento dos educandos.

“A rede vem trabalhando na perspectiva de uma política colaborativa, de forma que os professores se empoderem do conhecimento e com aperfeiçoamento profissional eles consigam absorver as habilidades dos alunos e desenvolvê-las para assim alfabetizá-los. Agora no primeiro bimestre, no nosso primeiro monitoramento, observamos que já temos 27% das nossas crianças alfabetizadas dentro das fases corretas e 25% já estão num nível avançado”, detalha a especialista. Ela lembra que o novo currículo vem sendo elaborado pelos professores alfabetizadores e supervisores das unidades educacionais da rede de ensino, bem como com interlocutores de universidades federais. 

Na rede, além da atenção com o currículo, também é realizado o monitoramento bimestral, por diagnóstico dos níveis da escrita das crianças na alfabetização, em parceria com o Sistema de Avaliação da Educação de Palmas (Saep).

A realidade da Capital é modelo para todo o País. A exemplo do último Ideb,  em que Palmas conquistou o 2° lugar entre todas as capitais nos anos iniciais (1° ao 5° ano) e primeiro lugar nas fases finais (6° ao 9° ano) do Ensino Fundamental. A nota do Município no Saeb em Língua Portuguesa em 2021, séries iniciais – 1º ao 5º ano – foi 213,03, melhor nota entre as capitais.

A secretária da Educação de Palmas, professora Fátima Sena, revela que a meta é que 100% das crianças palmenses sejam alfabetizadas até o final do segundo ano do Ensino Fundamental, conforme estabelecido pelo Plano Nacional de Alfabetização, aprovado pelo Congresso Nacional. “Oferecer um ensino de qualidade é o nosso desafio diário, especialmente quando se trata em qualificá-lo. Palmas vem apostando em uma estratégia ampla que soma investimento, dedicação, criatividade e um planejamento bem estruturado”, pontou a gestora.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias