- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 18 / abril / 2024

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

PARAUAPEBAS: Comunidades de Umbanda e Candomblé se reúnem para fortalecer religiões de matriz africana

Mais Lidas

Palestras, apresentações culturais e oficinas atraíram centenas de pessoas durante o evento, que este ano teve como tema “Minha religião e minha raça não são motivos para sua violência”. A programação que reuniu comunidades do Pará e do Maranhão, nos dias 14, 15 e 16 de março.

Mãe Vanessa, regente do Tempo Águas de Oxum daqui de Parauapebas falou sobre a importância de espaços de discussão como este. “O Encontro foi criado exatamente para a gente quebrar alguns tipos de barreiras que existiu no decorrer dos anos. Vamos dizer que de 2019 para cá, o município tem vivido situações que a gente viu a necessidade de mostrar pra sociedade que a nossa religião ela não é de demônio, e muito pelo contrário, nós pregamos muita caridade, o amor ao próximo e a gente está trazendo para a sociedade exatamente o conhecimento sobre as religiões, por meio de oficinas e palestras”, enfatiza, Mãe Vanessa.

Ao todo, o evento reuniu mais de 500 pessoas de diversos municípios do Pará, como Belém, Ananindeua, Baião e também de São Luís, capital do Maranhão.

O presidente da Federação Espírita e Umbandista dos Cultos Afro-brasileiros do Estado do Pará (FEUCABEP), José Carlos Gadelha, disse: “É um evento de grande magnitude é sempre complicado, mesmo com todas as parcerias, porque existem situações que acontecem no desenvolver do projeto. A gente tá muito feliz em participar desse segundo encontro, porque é um encontro que vai fortalecer as questões pertinentes as religiões de matriz africana”, destaca o presidente da Federação.

Já Tânia Regina Doussochet, vice-presidente da Federação agradeceu a parceria da Prefeitura de Parauapebas. “Eu tenho certeza de que esse encontro será muito mais proveitoso. Nós estamos juntos contra a intolerância religiosa e o preconceito. É nosso intuito agregar as pessoas para esclarecer que nossa religião é de Deus sim, que vai trazer muito desenvolvimento espiritual e o fortalecimento familiar”, relata, Tânia.

A entidade ressaltou que o Pará tem mais de cinco mil Casas de Umbanda e Candomblé, entre elas a Casa Teucy que hoje é dirigida por Yacira Jesus Gonçalves de Souza. “Eu sou herdeira de uma casa onde o meu avô, Airton Soeiro, que fundou a Federação Espírita de Umbanda em Belém. A nossa Casa tem mais de 77 anos. É a segunda vez que eu venho a Parauapebas e o que sinto é gratidão por ações de respeito como esta, que trazem a liberdade de expressão, liberdade de crença,  liberdade de amar e viver”, destaca Mãe Yacira.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias