- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sábado, 24 / fevereiro / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Presidente da Academia de Letras e Artes do Bico do Papagaio diz que entidade quer dar visibilidade às produções e aos artistas

Mais Lidas

O presidente da Academia de Letras e Artes do Bico do Papagaio (ALABIP), Valdo Rosário, disse que a criação de uma instituição de cunho artístico e literário na região do Bico do Papagaio vem preencher uma lacuna e tem o objetivo de apoiar os artistas e a cultura popular da região norte do Tocantins. Segundo ele, a proposta é dar visibilidade às produções de arte e aos artistas que, em geral, não são acolhidos e não encontram espaços para divulgar seus trabalhos. 

“As pessoas, muitas vezes, não têm sequer oportunidades e espaços para manifestar seus dons artísticos, e a Academia de Letras e Artes do Bico do Papagaio vêm justamente para apoiar, acolher e promover a arte e a cultura produzida em nossa região e sedimentar nossa identidade cultural produtiva”, ressalta o presidente. 

ALABIP 

A Academia de Letras e Artes do Bico do Papagaio (ALABIP) foi criada em 12 de maio, em evento acontecido no Colégio Manuel Vicente de Sousa, na cidade de Augustinópolis, sede da academia. Na ocasião, tomaram posse vinte e dois membros fundadores presentes e foi aprovada a diretoria.  

A Academia foi idealizada pelo professor e escritor Valdo Rosário e os músicos Chico Duarte e Zeca Tocantins, sendo composta por escritores e ativistas culturais dos municípios de Araguatins, Augustinópolis, Esperantina, Sampaio, São Miguel do Tocantins, São Sebastião do Tocantins, e Sítio Novo do Tocantins. 

O professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins – Campus de Araguatins, Miguel Camargo da Silva, esteve presente ao evento de criação da Academia e falou da importância da instituição para o fortalecimento da cultura regional do estado. “Uma academia serve para expressar o conhecimento dos artistas, mostrar para a sociedade e perpetua-lo. Dessa forma, os talentos passam a ser eternizados e essa memória tem grande relevância para a sociedade”, destaca o professor. 

MEMBROS FUNDADORES 

Os vinte e dois membros fundadores são: Adelaide Conceição, Cláudio Duarte, Chico Duarte, Dorinha Marques, Ellyzandreia Alves, Ênio Pitágoras, Francinete Barroso, Francisco das Chagas, Francisco Sulo, Gean Emílio, Getúlio Carneiro, José da Silva, Milton Teixeira, Nilton Elias, Paulo Hernandes, Paulo Palmares, Valda Maracaípe, Valdemar Ferreira, Valdo Rosário, Victor Ribeiro, Walter Barretos, e Zeca Tocantins. 

“Nesse momento inicial estamos focados em regularizar a parte jurídica da Academia, posteriormente, os membros efetivos escolherão os respectivos patronos, homenageando personalidades que marcaram as letras e a cultura brasileira. Também estamos organizando a agenda de evento da Academia para 2023, o logotipo (brasão) da Academia, e outros detalhes”, enfatizou o presidente Valdo. 

COMO TORNAR-SE MEMBRO 

A academia têm em sua totalidade quarenta cadeiras a serem ocupadas pelos membros efetivos. Atualmente estão ocupadas vinte e duas cadeiras pelos fundadores e existe a possibilidade de mais membros serem adicionados ao seu quadro. No entanto, como pontuou o presidente, a Academia, nesse primeiro momento, está focada nos transmites jurídicos de sua fundação, somente após essa etapa serão formados os conselhos de ética e de análise de curriculum de candidatos, para que possam ser admitidos. 

A quem se interessar em ingressar na Academia, o presidente Valdo Rosário adianta que a ALABIP dará prioridade a autores e artistas da região que já tenham pelo menos um livro publicado ou desenvolvam alguma atividade voltada para as letras ou as artes, privilegiem o regionalismo, trabalhem com temáticas sobre diversidade, e que saibam respeitar a pluralidade de pensamento.  

“As pessoas interessadas em ingressar na Academia como novos membros precisam posteriormente candidatar-se a uma das vagas. O pretendente será avaliado pelo Conselho de análise de candidatos, ainda a ser criado, e se for aprovado ocupará uma das cadeiras. No entanto, esse processo será realizado com parcimônia, sem pressa, no seu devido tempo”, ressalta o presidente. 

DIRETORIA 

Além do presidente Valdo Rosário, a diretoria da ALABIP é composta pelo vice-presidente Chico Duarte, o secretário Paulo Hernandes, secretário-adjunto Zeca Tocantins, tesoureira Francinete Barroso, e tesoureiro-adjunto Walter Barretos. Francisco Sulo, Milton Teixeira e Nilton Elias compõem o Conselho Fiscal. (Cláudio Duarte)

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias