- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quinta-feira, 20 / junho / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

TOCANTINÓPOLIS: Projeto aproxima estudantes do patrimônio arqueológico e paleontológico local

Mais Lidas

xr:d:DAF1-izaKoA:2092,j:7798406984007803231,t:24040813

Buscando identificar as regiões do Tocantins onde se localizam sítios arqueológicos e sua importância para a compreensão da história, a Escola Girassol de Tempo Integral XV de Novembro, de Tocantinópolis, utilizou o conhecimento histórico para facilitar a aprendizagem do conteúdo, proporcionando mais interesse pelo estudo histórico regional na perspectiva de relevância científica e cultural.

O projeto, que ocorreu entre 22 de março e 2 de abril, é uma atividade de extensão e consiste na produção de maquetes sobre sítios arqueológicos e paleontológicos tocantinenses, bem como jogos (gamificação) em atividades do dia a dia, para aumentar o engajamento dos estudantes dentro das habilidades propostas para serem desenvolvidas com os estudantes do 6º ano do ensino fundamental.

Foram contemplados na ação os sítios arqueológicos do Estado do Tocantins, voltados para o regionalismo tocantinense, com foco na Arqueologia e Paleontologia local, mais precisamente no Monumento Natural das Árvores Fossilizadas do Tocantins.

Gamificação

Durante a execução da atividade, os estudantes realizaram jogos com cards, contendo perguntas de fixação e curiosidades sobre a fauna e flora local; jogo com uso de dados e indicadores coloridos de jogadas; confeccionaram maquete que representa uma das possíveis paisagens da Era Paleozoica no Tocantins, além de elaborarem amostra artesanal representando a região do Jalapão.

O coordenador da área de Ciências Humanas, professor André Araújo Santana, comentou sobre o trabalho realizado de forma interdisciplinar. “O ensino de História deve funcionar como simples ciência relacionada à realidade dos estudantes, com aprimoramento de metodologias que possibilitem análise, observação, experimentação e levantamento de ideias, quanto à história arqueológica e paleontológica do nosso Estado, a fim de que possam aprimorar suas habilidades, competências sociais e culturais continuamente”, ponderou.

A estudante Hanna Vitória Viana da Silva, 6º ano do Ensino Fundamental, destaca a metodologia da gamificação como estratégia para despertar o interesse dos estudantes e melhorar a aprendizagem. “É muito legal e educativo usar jogos nas aulas de História, pois ajuda a conhecer melhor o nosso passado, de forma dinâmica e envolvente”, destacou.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias