- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 19 / abril / 2024

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

WANDERLÂNDIA: Taxista acusação de estupro durante corrida se complica depois que Polícia encontra arma em casa

Mais Lidas

A casa de um taxista, de 45 anos, investigado por suspeita de estuprar uma mulher que teria o chamado para corrida foi alvo de mandado de busca nesta terça-feira (2). O caso aconteceu em Wanderlândia, no Bico do Papagaio, e no local havia uma arma de fogo, que foi apreendida.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima tem 40 anos e sofreu o abuso no início deste ano. Ela teria chamado o taxista para leva-la até o Assentamento Costa Rica. No caminho, assim que saiu da zona urbana, ele teria parado o carro, pego uma arma no porta-malas e obrigado a mulher a ter relações sexuais com ele.

Depois do abuso, ele teria a deixado em casa, no assentamento, e a ameaçado de morte se contasse o que aconteceu para o marido o à polícia.

O suspeito está solto, já que ainda não há mandado de prisão expedido pela Justiça contra o homem investigado. Mas com o mandado de busca, os policiais apreenderam a arma de fogo.

A mulher teria entrado em depressão depois do estupro e só conseguiu falar sobre a agressão depois de dois meses, quando junto com uma parente, denunciou o caso na polícia.

A Polícia Civil informou que as investigações vão continuar para esclarecer circunstâncias do crime de estupro. “Trata-se de um crime hediondo e que foi praticado com violência e grave ameaça, assim, a Polícia Civil tem realizado todos os procedimentos a fim de que o autor seja responsabilizado na forma da lei”, ressaltou o delegado Márcio Lopes, responsável pelo caso.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias