- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sábado, 24 / fevereiro / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ARAGUATINS: Pacientes de hemodiálise continuam sofrendo descaso da Saúde com falhas no transporte e assistência inadequada

Mais Lidas

Van voltou a quebrar na semana passada em Imperatriz. Situação é rotineira.

Pacientes de hemodiálise de Araguatins, no Bico do Papagaio, continuam enfrentando dificuldades semanais devido à má assistência da Secretaria Municipal de Saúde. Eles precisam viajar para Imperatriz, no Maranhão, três vezes por semana para realizar suas sessões de tratamento, mas a viagem tem sido marcada por problemas contínuos.

A falta de apoio financeiro através do Tratamento Fora de Domicílio (TFD) e as constantes falhas nos veículos utilizados para o transporte têm causado transtornos significativos. Na semana passada, a van que transportava os pacientes quebrou em Imperatriz, deixando vários deles desamparados.

Esta semana, a situação piorou com o uso de veículos impróprios para o transporte dos pacientes, aumentando ainda mais os transtornos. Esses incidentes destacam a necessidade urgente de melhorias na assistência prestada aos pacientes de hemodiálise.

Um paciente, que preferiu não ser identificado, compartilhou suas experiências. Ele descreveu a angústia de depender de um serviço de transporte não confiável para um tratamento tão vital. Além disso, a falta de apoio financeiro adequado do TFD torna a situação ainda mais difícil.

Esses problemas destacam a necessidade de uma revisão urgente dos serviços prestados pela Secretaria Municipal de Saúde. É imperativo que os pacientes de hemodiálise recebam o apoio e a assistência adequados para garantir que possam continuar seu tratamento sem interrupções ou transtornos adicionais. A saúde e o bem-estar desses pacientes devem ser uma prioridade.

Paralelo a isso, não se tem visto ação das autoridades do Município, seja no âmbito do Judiciário ao Parlamentar, para socorrer os cerca de 12 pacientes, que enfrentam semanalmente o dilema e permitem que a Secretaria Municipal de Saúde, proceda da forma que lhe convêm, se se preocupar com a situação de pessoas debilitadas.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias