Connect with us

Bastidores

Carlesse destaca avanços nos oito meses de sua gestão

Publicado

em

O governador Mauro Carlesse faz um balanço da sua gestão frente ao Governo do Tocantins, que teve início no mês de abril deste ano, e destaca os avanços que levaram o Tocantins a se reestabelecer da crise política e econômica e se reerguer como um estado forte e promissor.

“Somos o estado mais novo do Brasil e já há algum tempo o Tocantins vem enfrentando grandes obstáculos com a cassação de governadores ou de escândalos de corrupção. A nossa forma de fazer Gestão é diferente. Estamos modernizando a máquina pública, ampliando os investimentos e trabalhando para que o estado seja atrativo para instalação de indústrias que venham para cá gerar mais emprego e renda para a nossa população”, afirma o governador Mauro Carlesse.

O chefe do Executivo lembra que, desde que assumiu o Governo, teve inúmeras restrições para administrar a máquina pública em detrimento da legislação eleitoral. “Em apenas seis meses, tivemos duas eleições decididas em três turnos no estado. Foi um processo muito desgastante, mas chegou a hora de olhar pra frente e escrever uma nova história para o Tocantins”, destaca.

Mauro Carlesse destaca também que recebeu o estado com muitas dificuldades, mas sua Gestão teve habilidade para enfrentar os problemas, mesmo com as restrições impostas pelas vedações eleitorais que só serão finalizadas em 31 de dezembro.

Obras Retomadas

Mesmo diante das dificuldades enfrentadas, a gestão do governador Mauro Carlesse conseguiu em pouco tempo retomar grandes e importantes obras  para o desenvolvimento do Tocantins.

“Em Araguaína iniciamos as obras de recuperação às margens da TO-222. Além disso, entregamos à população, no último dia 14 de dezembro, a sede definitiva do Fórum da Comarca da cidade”, explica Carlesse.

O governador também ressalta a conclusão do asfalto no trecho das rodovias TO-444/447, que liga Chapada de Areia a Paraíso do Tocantins; o início da pavimentação asfáltica do Setor Jardim Taquari, em Palmas, e das obras da Avenida NS-15, também na Capital. Além delas, as obras de terraplanagem e pavimentação asfáltica da rodovia TO-126, trecho que liga o município de Tocantinópolis ao Povoado Ribeirão Grande, estão em fase final.

No decorrer deste ano, somente na gestão do governador Mauro Carlesse, foi intensificado o trabalho de conservação e manutenção de norte a sul do Tocantins, atendendo 2.106,56 km de estradas.

Saúde

Na área da saúde o governador ressalta o empenho em reduzir as filas de esperas, acabar com a internação de pacientes nos corredores do Hospital Geral de Palmas (HGP), além de retomar as obras dos hospitais.

“Lançamos o programa Opera Tocantins para atender mais de seis mil pessoas que estavam na fila de espera por uma cirurgia eletiva; retomamos as obras do Hospital Geral de Gurupi [HGG]; determinei a instalação da máquina de radioterapia de Araguaína; além de fortalecer o atendimento nos hospitais regionais e manter o nosso estoque de insumos e medicamentos regulado”, afirma o governador.

Carlesse também destaca o novo espaço que foi inaugurado no HGP para atender os pacientes que realizam tratamento de câncer na Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon). “Maior e com mais conforto para acomodar os pacientes”, complementa.

Estão previstas ainda para o primeiro semestre de 2019, as entregas da reforma da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Gurupi e continuidade  das obras do Hospital Geral de Gurupi; ampliação de salas cirúrgicas no HGP, com a construção de 10 salas, passando de seis para 16 salas e a entrega de novos leitos de UTI em Araguaína.

Servidores Públicos

Quando assumiu a Gestão, Mauro Carlesse procurou resolver demandas dos servidores públicos que se arrastavam há anos.  “Conversamos com as categorias e acertamos o pagamento da data-base que estava atrasada e da atual e estamos procurando uma forma de resolver a questão das progressões. Além disso, o Governo vem pagando parte dos servidores, que ganham até R$ 2.600, no dia 1º, procurando reestabelecer assim o início do mês para o pagamento integral de todos os servidores do estado”, explica.

“Foi também na nossa Gestão que implantamos a carga horária diária de seis horas para os servidores públicos. Dessa forma, o Estado reduz despesas e vem atendendo uma demanda antiga das categorias. Cabe destacar também, que o Tocantins finaliza 2018 pagando os servidores em dia, ao contrário de vários estados da federação que passam por severas crises financeiras”, afirma Carlesse.

Outra questão que a Gestão Carlesse resolveu foi referente ao Plansaúde. Um dos gargalos da administração era a dívida milionária com os prestadores de serviços do plano. O Governo do Tocantins quitou a dívida de R$ 111 milhões e garantiu a continuação e normalidade dos atendimentos.

A partir do encerramento do contrato com a administradora Unimed, o Governo firmou, por meio de processo licitatório, contrato com a empresa Infoway. Por meio dessa nova contratação, o Executivo estadual deu mais um passo em busca de melhores resultados na gestão do Plano.

Redução de Despesas

O Governo de Mauro Carlesse vem trabalhando para reduzir as despesas da máquina pública e o enquadramento do Estado dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Sem conseguir alcançar este objetivo, o Executivo não conseguirá, por exemplo, obter empréstimos para realização de obras para o desenvolvimento do estado.

Desde abril, o Governo vem promovendo uma série de ações, como redução do quadro de pessoal (comissionados e contratos), fusão de secretarias, renegociação de contratos, redução da jornada diária de trabalho dos servidores, recolhimento dos veículos oficias do Governo na Garagem Central, estudos para avaliar a locação de prédios privados, redução de gastos com telefone, energia e água, entre outros.

“A conclusão dessa reforma administrativa se dará no início de 2019, quando apresentaremos as diretrizes dos próximos quatro anos. Vamos apresentar um maior enxugamento da máquina pública, adequação da nossa força de trabalho e enfim tentar alcançar o nosso objetivo que é o enquadramento dentro da LRF”, ressalta Carlesse.

O governador também sinalizou que um dos compromissos da sua Gestão é aumentar a arrecadação, sem aumentar os impostos. “Dessa forma, vamos conseguir atrair mais empresas e deixar o Tocantins atrativo para que geração de emprego e renda”, conta.

Com a economicidade e eficiência na gestão pública, Mauro Carlesse pretende fazer com que os municípios tocantinenses sigam o mesmo modelo do Estado para superar a crise e crescer. “Essa crise nos mostrou o quanto nossos recursos são finitos. Precisamos ter consciência que administrar requer estabelecer metas e cumprir os compromissos traçados. Quando o Estado voltar a funcionar, consequentemente a vida da população volta a melhorar”, diz.

Carlesse também destacou a importância da união que o Estado propôs aos demais poderes, para que juntos possam participar de um mesmo pensamento. “Todos atenderam o nosso chamamento, se colocaram à disposição e é isso que a gente quer um Governo aberto que, junto com os poderes, venha melhorar a vida dos cidadãos”, afirma.

Empréstimos pendentes

De acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional (SNT), o Tocantins possui atualmente nota C para investimentos. Isso quer dizer que o Estado tem menos capacidade para honrar os compromissos de pagamento dos endividamentos. Para mudar esse cenário, com o enquadramento do Governo na LRF, a classificação de investimento subirá para a letra B.

Atualmente, o Tocantins aguarda o aumento da sua nota para conseguir a liberação de empréstimos, já aprovados pela Assembleia Legislativa, com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Os recursos serão investidos em obras de infraestrutura e ajuda aos municípios.

Segurança Pública

Na área da Segurança Pública, o Governo Carlesse vem fazendo um trabalho voltado para proteção do cidadão. Somente nestes oito meses, a Polícia Civil já realizou mais dez mega operações com focos diversos, demonstrando maior agilidade da força policial em combater o crime.

Entre os meses de abril e novembro de 2018, o Governo do Tocantins inaugurou 17 unidades de Polícia Civil no Tocantins. “As unidades policiais contam agora com novos prédios, modernos e confortáveis, que possibilitam um melhor atendimento à população que busca, diariamente, os seus serviços, assim como proporcionam mais qualidade para que policiais civis e demais servidores possam desempenhar suas atribuições com eficiência e celeridade”, reforça o governador Mauro Carlesse.

O Governo também promoveu a nomeação de 22 delegados, 26 escrivães e 12 peritos que passaram a atuar no combate à criminalidade nos municípios do interior do Estado.

Outros

O governador Mauro Carlesse também destacou outros grandes feitos da sua gestão, como a organização e os recordes batidos pela 18ª edição da Feira Agropecuária do Tocantins (Agrotins); a implantação da Fábrica de Cadeiras de Rodas, em Gurupi; aquisição de armamentos, munições e veículos para a Polícia Militar, Civil e também para o Sistema Prisional; a retomada de obras habitacionais e entrega de apartamentos para os servidores públicos; além de investimentos na área da Educação com a realização de obras nas escolas, implantação de Colégios Militares, além de outros investimentos e aperfeiçoamentos na área.

“Há muito ainda o que ser feito para que a gente consiga alcançar a nossa meta, mas temos a certeza de que estamos trilhando o caminho certo e temos bons nomes na nossa equipe que vão poder nos orientar para conseguir colocar o Estado nos trilhos”, conclui o governador Mauro Carlesse. (Jesuino Santana Jr./Foto: Esequias Araújo)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bastidores

Inflação para famílias de renda mais baixa sobe 0,95% em novembro

Publicado

em

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1 – de novembro, calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), registrou alta de 0,95%. Com isso, ficou 0,24 ponto percentual (p.p.) acima do resultado de outubro, quando atingiu taxa de 0,71%. O indicador que mede a inflação para as famílias que ganham até 2,5 salários-mínimos por mês acumula elevação de 4,85% no ano e de 5,82% nos últimos 12 meses.

Em novembro o IPC-BR, que mede a inflação das famílias com renda mensal de 1 a 33 salários, variou 0,94%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 4,86%, nível abaixo do registrado pelo IPC-C1.

Despesas em alta

De outubro para novembro, seis das oito classes de despesa componentes do índice tiveram elevação nas taxas de variação. O setor de transportes passou de 0,29% para 0,90%, educação, leitura e recreação de 1,33% para 2,56%, saúde e cuidados pessoais de 0,05% para 0,23%, habitação de 0,28% para 0,39%, alimentação de 2,08% para 2,18% e despesas diversas com queda de 0,01% para alta de 0,11%.

Os destaques ficaram para gasolina, que subiu de 0,31% para 2,36%, passagem aérea de 15,63% para 27,16%), medicamentos com queda de 0,17% para alta de 0,34%, tarifa de eletricidade residencial, que tinha recuo de 0,19% e passou para elevação de 0,20%), hortaliças e legumes de 3,91% para 12,15% e cigarros, em queda menor de 0,59% para 0,30%.

Em queda

A favor das famílias dois grupos apresentaram recuo em suas taxas de variação: vestuário (0,24% para -0,04%) e comunicação (0,14% para 0,12%). Roupas tiveram redução de 0,20% para 0,02% e o item tarifa de telefone residencial diminuiu de 1,65% para 0,29%.

O IPC-C1 é calculado com base em preços coletados em sete capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife e Salvador. A próxima divulgação do indicador será no dia 7 de janeiro de 2021.

Continue lendo

Bastidores

Em live, Bolsonaro pede que população economize energia elétrica

Publicado

em

Live da semana Presidente Jair Bolsonaro, 03/12/2020

O presidente Jair Bolsonaro fez um apelo, nesta quinta-feira (3), para que a população economize energia elétrica. Em sua live semanal, transmitida pelas redes sociais, Bolsonaro alertou sobre o baixo nível de água nos reservatórios de usinas hidrelétricas, que respondem pela maior parte da geração elétrica do país.

“Já estamos numa campanha para economizar energia. Tenho certeza que você, que está em casa agora, pode apagar uma luz, evitar o desperdício. Tome um banho um pouquinho mais rápido, que ajuda a manter os reservatórios um pouco mais altos”, afirmou, ao lado dos ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e de Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Bento Albuquerque relatou que o país vive a maior seca dos últimos anos e o nível dos reservatórios das usinas estão em uma situação preocupante. “Os reservatórios estão muito baixos, presidente. Dentro dos registros que temos no Ministério de Minas e Energia, desde 2000, não se tem uma seca tão grande nos nossos reservatórios do Sul, e desde 2015, nos [reservatórios] do Centro-Oeste e Sudeste do país. E isso nos levou a adotar medidas, como colocar nossas usinas termelétricas gerando energia. 65% da nossa energia é gerada por hidrelétricas, e com os reservatórios de água estando baixos, temos que utilizar as usinas termelétricas para suprir essa energia, gerar segurança de abastecimento e preservar aquilo que temos de água nos reservatórios”, explicou.

Nesta semana, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reativou o sistema de bandeiras tarifárias. A bandeira definida foi a vermelha patamar 2 para o mês de dezembro, a mais alta, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. A medida é adotada sempre que há queda no nível dos reservatórios e o custo da geração de energia aumenta no país.

“Não é maldade da gente, não é pra arrecadar mais. É porque estamos usando energia de fonte mais cara, como termoelétrica, e daí fica bem mais caro pra pagar essa diferença. Por isso que se bota a bandeira a bandeira vermelha a R$ 6 [a cada 100 quilowatts de energia consumida]”, enfatizou Bolsonaro.

Nos próximos dias, de acordo com o ministro de Minas e Energia, o governo vai apresentar uma atualização do Plano Nacional de Energia, que prevê ações no setor até 2050. Um dos objetivos, disse ele, é ampliar a capacidade de geração de energia nuclear para 10 gigawatts. “Vamos triplicar a geração de energia nuclear, que é fundamental para a manutenção dos nossos reservatórios, porque elas geram 365 dias por ano, e os nossos reservatórios de água poderão ser mantidos na época de escassez de chuva”, destacou.

Eletrobras

O ministro ainda comentou, durante a live, sobre o andamento do projeto de lei de privatização da Eletrobras, que tramita no Congresso Nacional, e é considerado prioritário pelo governo federal.

“Encaminhamos, ano passado, um projeto de lei para a Câmara dos Deputados. Desde então, estamos trabalhando junto com a Câmara e com o Senado, com as lideranças políticas para que esse projeto seja apreciado. Acreditamos que será. Já conversamos com deputados e senadores. E tem tudo para ser aprovado no ano de 2021. Realizaremos não diria uma privatização, uma venda da Eletrobras. Ela vai ser capitalizada, vai virar uma grande empresa de energia com a participação de investidores, todos poderão participar desse empreendimento. Isso é muito importante para que o país tenha os investimentos necessários, com mais segurança energética e melhor prestação de serviço aos consumidores”, disse o ministro, que prevê aumentar os investimentos da empresa para R$ 12 bilhões ao ano, frente aos atuais R$ 4 bilhões.

O projeto de lei de privatização da Eletrobras, encaminhado ao Congresso Nacional pelo governo em novembro de 2019, enfrenta resistência por parte do Senado, em razão do papel estratégico da empresa em diversas regiões do país. A Eletrobras é responsável por 30% da geração de energia no país e por 50% da transmissão.

Amapá

Ainda durante a live, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que, se não fosse o apoio do governo federal, o Amapá levaria mais tempo para restabelecer a energia elétrica, após os apagões ocorridos em novembro, durante cerca de 20 dias. Mais de 765 mil pessoas ficaram sem luz ou com o serviço limitado a poucas horas por dia.

“Sem a participação do governo federal, e participamos porque somos solidários, faríamos isso em qualquer estado do Brasil, a previsão era levar 60 dias. Com a nossa participação, foram três semanas para o restabelecimento total da energia”. Desde o último dia 24 de novembro, após a ativação de um transformador em Macapá, o estado normalizou a distribuição de energia para a população. Por causa dos apagões, o governo federal isentou mais de 185 mil imóveis do pagamento da conta de luz de novembro.

Desmatamento

Sobre o índice de desmatamento na Amazônia em 2020, atualizado essa semana pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o ministro Ricardo Salles disse que os números estão estáveis em relação aos últimos anos e afirmou que é preciso gerar alternativa de renda e emprego para a região.

“O desmatamento desse ano está mais ou menos no patamar do ano de 2018, portanto, bem abaixo do que foi 2004 e 2005. Isso não quer dizer que estamos contentes com isso, mas tem que trazer prosperidade para a região”, afirmou. Para ele, a população da Amazônia foi esquecida em governos anteriores. “Nos anos de 2012 para trás, quando se fez essa política de combate ao desmatamento, não se preocupou em cuidar das pessoas, dos 23 milhões de brasileiros que vivem na Amazônia. E quando você não cuida das pessoas, a pressão das atividades ilegais, por ganhar recurso de alguma forma, aumenta muito”, destacou.

Segundo o Inpe, a área desmatada na Amazônia foi de 11.088 quilômetros quadrados entre agosto de 2019 e julho de 2020, de acordo com números oficiais divulgados na última segunda-feira (30). Os dados representam um aumento de 9,5% em relação ao período anterior, entre agosto de 2018 a julho de 2019, quando foram registrados 10.129 quilômetros de área desmatada. (Agência Brasil)

Continue lendo

Bastidores

Capacitações para gestores do Tocantins destacam benefícios de contratações locais

Publicado

em

Nesta quarta-feira, 01, palestrante Luís Mauricio Zanin, especialista em políticas públicas, esteve em Paraíso e Palmas para capacitar gestores públicos e novos vereadores em como comprar dos pequenos negócios e gerar e empregos. As palestras destacaram os avanços nas compras governamentais e trouxe casos de sucessos de contratações locais.

Para a gerente de relacionamento institucional do Sebrae Tocantins, Magvan Botelho, comprar de um pequeno negócio fortalece a economia local e desenvolve a comunidade. “Desenvolver formas para facilitar a contratação do pequeno empreendedor valoriza os empresários locais e fortalece a economia da cidade, além de oportunizar os pequenos negócios concorrerem os editais entre si, de forma leal”, disse.

“É preciso que o comprador conheça os benefícios e especificidades da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, saiba das obrigações e como preparar os editais que incentivam a participação dos pequenos negócios nas compras governamentais”, afirmou a Zanin destacando que a participação dos pequenos negócios nas compras públicas traz benefício para toda a região.

Continue lendo
publicidade Bronze