- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 19 / abril / 2024

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Demá Jovem e Governo do TO anunciam intercâmbio cultural com 10 jovens do programa Jovem Trabalhador

Mais Lidas

Em cerimônia realizada na manhã desta sexta, 2, em Barcelona, a Demà Jovem e o Governo do Tocantins anunciaram a realização de um intercâmbio cultural com 10 jovens do programa Jovem Trabalhador. O intercâmbio acontecerá em 2024 e envolverá atividades culturais, socioambientais e educativas na capital catalã.  

“Estou muito satisfeito em estar aqui hoje, firmando este acordo que possibilitará que os jovens do Tocantins tenham acesso a oportunidades de aprendizado e crescimento em um cenário internacional. A parceria com a Demà Jovem é fundamental para que possamos oferecer uma formação de qualidade aos nossos jovens, preparando-os para os desafios do mercado de trabalho”, afirmou o governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa.  

Para o co-presidente da  Demà Jovem Josep Gassó Espina, a parceria é motivo de entusiasmo.

 “Estamos felizes em receber o governador Wanderlei Barbosa em nossa sede e saber que o Tocantins executa projetos como esse. Essa é uma grande oportunidade para eles, é muito importante que eles façam esse intercâmbio”, afirmou Josep.

A assinatura aconteceu na sede Demà Barcelona, com a presença de autoridades catalãs e membros do consulado brasileiro. Na ocasião, a comitiva do Tocantins participou ainda de um encontro com jovens que fazem parte do programa de aprendizagem local.  

Jovem Trabalhador  

Maior programa de primeiro emprego da história do Tocantins, o Programa Jovem Trabalhador está em fase de contratação e destinará três mil vagas de trabalho a jovens de 16 a 21 anos, nos 139 municípios do Estado.  

Para efetuar a inscrição o jovem deve acessar o site jovemtrabalhadorto.org.br e preencher o cadastro. É necessário que o jovem tenha renda familiar de até dois salários mínimos nacional ou meio salário mínimo per capita, ou inscrição no CadÚnico. É preciso ainda que o jovem esteja cursando o ensino fundamental ou médio (ou já ter concluído o ensino médio) e ser ou ter sido estudante da rede pública ou bolsista 100% de rede particular.

No Tocantins, além das cotas para PCD (5% a 10%) e para o socioeducativo (5%) haverá prioridade na contratação de jovens indígenas, ribeirinhos e quilombolas. O programa é uma iniciativa do Governo do Tocantins, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social em parceria com a Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (Renapsi).  

(Izabela Martins / Fotos: Comunicação/ Demà Europa)

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias