- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
sexta-feira, 24 / maio / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Sites de apostas abrem mercado de bilhões para fintechs

Mais Lidas

Os sites de apostas esportivas vêm dominando o mercado brasileiro, combinando a paixão dos torcedores pelo futebol à sua atração pelos palpites e jogos de azar. E a popularidade dessas plataformas não passa despercebida por quem acompanha as partidas das séries A e B do Brasileirão, já que muitos desses eventos esportivos contam com a exposição de grandes marcas de bets, como Betano, Bet365, Bet Nacional, 1Xbet, PixBet e Pari Match – tanto nos telões de publicidade e tapetes estendidos no gramado, quanto nas camisas de grandes clubes e até mesmo no nome das competições.

Com tanto marketing e popularidade, é possível perceber um aumento de demanda entre os fãs do esporte interessados nas apostas esportivas, o que está enchendo os olhos do governo, que atualmente busca uma regulamentação para garantir a arrecadação sobre esse segmento. Além do interesse do Estado, o mercado da jogatina online também vem movimentando e beneficiando o segmento dos bancos e das fintechs, já que essas plataformas fazem uma ponte entre as operadoras de apostas e os jogadores através do Pix, que vem surgindo como uma ferramenta imprescindível para quem quer apostar e receber os prêmios com rapidez e de forma confiável.

Isso também vale para aquelas plataformas que, além das apostas esportivas, também oferecem cassinos online para a diversão dos usuários. Muitas delas, além do Pix, ainda trazem o pin-up casino bônus para aqueles que acessam através do cassinos.info, site de avaliações especializadas no setor da jogatina virtual. Esse é o caso do Pin-up Cassino, plataforma que oferece um bônus de boas-vindas de 120% até R$1500 e 250 giros grátis para os novos jogadores, além de ofertas como cashback de até 10% e loteria com prêmios garantidos.

Apostas com Pix

Atualmente, o Pix é um dos métodos de pagamento mais usados pelos brasileiros, que rapidamente aderiram às transferências instantâneas tanto para as transações feitas em estabelecimentos físicos, quanto em ambiente virtual. Além de permitir que o dinheiro caia rapidamente na conta da pessoa, esse método de pagamento se tornou popular devido à agilidade na confirmação do pagamento, o que não ocorre com o boleto bancário.

Antes do lançamento do Pix, os sites de apostas se restringiam aos cartões de crédito, uma modalidade com algumas desvantagens, como taxas de conversão e cancelamentos frequentes das operadoras dos cartões, que suspeitavam de fraudes. Já a transferência internacional, outra forma de pagamento permitida pelas casas de palpites, pode demorar horas para ser concluída – esse trâmite pode acabar desestimulando o apostador, já que as partidas têm hora para começar e terminar, e a aposta deve ser feita antes disso.

Segundo o presidente do Instituto Brasileiro de Jogo Responsável (IBJR), André Gelfi, “o mercado de sites de apostas cresceu cinco vezes ao longo dos últimos quatro anos no Brasil e o Pix é o principal responsável por isso”. O IBJR, que reúne 13 casas de palpites atuando no Brasil, estima que o mercado nacional somará R$ 5,8 bilhões em faturamento em 2023, com R$ 84 bilhões em apostas movimentadas.

Gelfi acredita que mais de 90% da movimentação feita hoje em dia é através do Pix. Para oferecer esse método, as plataformas de apostas geralmente pagam uma comissão aos bancos e fintechs, que pode variar de acordo com o volume transacionado e com o porte do cliente. Algumas instituições que trabalham com o Pix para as plataformas de apostas são o Banco do Brasil, Asaas, BS2 e Pay4Fun.

A Pay4Fun, por exemplo, foca os seus serviços para o mercado do entretenimento, e hoje trabalha com grandes marcas no Brasil, como a Betano e Bet365, cobrando taxas variáveis – entre 2% e 4% para os depósitos dos apostadores e de 1,5% a 3% para o resgate dos prêmios. A fintech registrou 4,95 milhões de transações com Pix apenas em 2022.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias