- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
quarta-feira, 06 / julho / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

AUGUSTINÓPOLIS: Acusados de matar Klébio são condenados a 32, 28 e 24 anos de prisão

JUSTIÇA

Mais Lidas

Depois de quase três dias de julgamento, os acusados pelo assassinato do dentista, Klébio Pereira Guede, foram condenados. Manoel Fabrício Teles Pereira, Antônio Mendes Nonato e Estevão Emílio Castro Almeida, pegaram 32 anos e 11 meses, 28 anos e 10 meses e 24 anos e 10 meses de prisão respectivamente. Todos em regime fechado.

A Justiça negou que os três recorram em liberdade.

As sentenças foram proferidas na madrugada desta quarta-feira, 19, já depois das 5h, no Fórum de Augustinópolis, no Bico do Papagaio. O julgamento começou na segunda-feira, 17.

O assassinato do dentista Klébio foi motivado por ciúmes. Fabrício suspeitava que Klébio estava em um relacionamento amoroso com sua ex-namorada e encomendou a morte. Estevão intermediou a contratação do pistoleiro Antônio Mendes, que recebeu R$ 5 mil pelo serviço.

Klébio foi sequestrado no dia 7 de março de 2015 e levado de carro até Araguatins. Lá, a vítima foi executada com três tiros e o corpo foi deixado em um matagal às margens da rodovia Transamazônica, próximo aos distrito Transaraguaia. Segundo a investigação, o carro usado no transporte era do dentista e após o crime foi vendido por R$ 13 mil na cidade de Parauapebas, na região de Carajás, no estado do Pará.

A trinca foi condenada por homicídio duplamente qualificado, formação de quadrilha, furto e ocultação de cadáver.

- Publicidade -spot_img
Assinar
Notificar-me
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias