- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
terça-feira, 17 / maio / 2022
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_img

AUGUSTINÓPOLIS: Diagnóstico diz que hospital é um dos mais precários

Mais Lidas

A Secretaria Estadual da Saúde (SESAU) apresentou nesta quarta-feira, 18, ao governador Siqueira Campos (PSDB) o diagnóstico feito pela Confederação das Santas Casas de Misericórdia do Brasil (CMB), sobre o estado operacional dos hospitais públicos estaduais do Tocantins, bem como a situação do diagnóstico por imagens e da distribuição de equipamentos e medicamentos na rede pública estadual de saúde.

A CMB visitou unidades de saúde dos 139 municípios do Estado, avaliando cerca de 1.700 itens das áreas de gerenciamento, estrutura, parte técnica e serviços terceirizados, como alimentação, pessoal de apoio e limpeza. Dentro de um critério de avaliação que varia de 0 a 100 pontos, a unidade de saúde no Tocantins que alcançou melhor pontuação foi o Hospital Geral de Palmas, que teve 53 pontos, alcançados principalmente pelas boas condições estruturais do prédio.

Já entre uma das unidades de saúde mais crítica do Estado figura o Hospital Regional de Augustinópolis que apresentou pontuação abaixo dos 20 pontos.

O diagnóstico da CMB aponta como uma solução imediata para resolver o problema em Augustinópolis seria a contratação de serviços e parcerias de entidades do terceiro setor. “E esta é uma possibilidade, esta parceria com o terceiro setor, que tem a maior satisfação do usuário. As Osips Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSIPS) tem know how pra resolver e serão menos morosas. Constitucionalmente estas organizações tem preferência para trabalhar junto à administração pública”, justificou o presidente da CMB, José Reinaldo Nogueira de Oliveira Júnior.

O próximo passo do governo agora é avaliar as possibilidades jurídicas para fechar contratos com as entidades do terceiro setor que apresentarem as melhores propostas. “Não queremos nada que gere malefícios para o usuário. Estamos levando em consideração todas as sugestões da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Ministério Público Estadual (MPE), para não incorremos em erros” esclareceu o secretário estadual da saúde, Arnaldo Alves Nunes.

De acordo com o secretário, a parte jurídica deve estar finalizada até o final do mês e a expectativa do governo é de que as propostas de entidades do terceiro setor possam ser recebidas e avaliadas a partir do dia primeiro de junho. (Com informações do Portal CT)

- Publicidade -spot_img

1 Comentário

Assinar
Notificar-me
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Cidadão Tocantinense

Bem, não poderíamos esperar avaliação melhor. Afinal de contas são anos de abandono, clientelismo, falcatruas, cabide de empregos, ingerência através das lideranças viciadas e indicadas pelos políticos.
Resta apenas que o governador tome as rédias da situação e realmente trabalhe com independência.
O próprio governador percebeu que o problema maior dos hispitais era a gestão.
Não pode haver bons comandados se não houver bons comandantes. E no caso dos hospitais e, especificamente, no hospital de Augustinópolis.
Sr. Governador, faça apenas o que se propôs a fazer. Abaixo os apadrinhamentos, as indicações meramente políticas e sem os critérios técnicos necessários; abaixo a falte controle e acompanhamento importantes ao sucesso. Só desta forma é que poderemos pensar em melhorias.

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias