Connect with us

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Médico avalia tratamento em menina coberta de pelos: ‘Além do esperado’

Publicado

em

kemilly3

O resultado do início do tratamento da menina Kemilly Vitória Pereira de Souza, de 2 anos e 8 meses, que tem o corpo coberto por pelos, animou o cirurgião pediátrico Zacharias Calil. “Ficou além do esperado”, disse o médico, após avaliar a paciente na tarde desta segunda-feira, 9.

“Ela formou crostas, tipo uma queimadura, que não atingiu a derme, apenas a camada superficial da pele. Nas regiões onde teve essa descamação, provavelmente, não vai nascer mais pelos”, explicou o médico.

A criança sofre de uma doença genética e hereditária chamada “hipertricose lanuginosa”, também conhecida como “síndrome do lobisomem”, cujo único tratamento disponível é a aplicação de laser.

Inicialmente, o médico acreditava que a lanugem (como são chamados os pelos) voltariam a  crescer, mas agora está mais otimista. Kemilly fez aplicações de laser do lado esquerdo do rosto. Uma nova sessão de laserterapia está marcada para o próximo dia 19, quando será feita a primeira aplicação no lado direito. Ao todo, serão mais de 40 sessões.

O procedimento para retirar os pelos do lado esquerdo do rosto da menina foi feito na quinta-feira (5), Hospital Materno Infantil (HMI), e durou cerca de 40 minutos. Após Kemilly ser sedada, a equipe médica retirou o excesso de pelos com uma máquina e, em seguida, disparou o laser sobre determinados pontos. Segundo Calil, não houve complicações e a pele da menina respondeu bem tratamento.

Estranhamento

Após a primeira aplicação de laser, a mãe de Kemilly, a dona de casa Patrícia Batista Pereira, de 22 anos, disse que “estranhou” o rosto da filha. “A gente achou muito diferente na hora, mas agora já acostumou. A gente sabe que é o melhor para ela”, diz.

Segundo Patrícia, a criança também notou a diferença. “Ela se olha no espelho o tempo todo e fica passando a mão no rostinho”, relata.

A mãe conta que nunca raspou os pelos nem passou nenhum produto. “Tinha medo dos pelos engrossarem”, explica. Agora, por recomendação médica, vai passar uma pomada e protetor solar.

Zacharias Calil fala que, ao longo do tratamento, a família deverá se habituar a novas mudanças: “A pele dela é de uma coloração clara, bem diferente da cor mais escura que a família está acostumada a vê-la por conta da lanugem”.

Retorno

Os pais de Kemilly moram em Augustinópolis e buscaram ajuda na capital goiana após inúmeras consultas médicas. o pai, o eletricista Antônio de Souza, de 34 anos, diz estar ansioso para voltar para casa após, onde pretende passar o Natal com restante da família.

No entanto, o casal deverá trazer a filha todos os meses para se submeter à laserterapia no Hospital Materno Infantil. “A gente sabe que será uma dificuldade vir todo mês, porque não temos condições de nos manter aqui. Também será um sofrimento para ela ficar de jejum nos dias de aplicação, mas estamos fazendo o melhor para a nossa filha e um dia ela vai nos agradecer”, diz a mãe, convicta.

Patrícia conta que, desde o nascimento da menina, a família percebeu que os pelos cobriam todo o corpo da criança, mas que eles foram escurecendo ao longo do tempo. “Felizmente, ela é saudável e se desenvolve como uma criança normal. O problema mesmo é o excesso de pelos em todo o corpo. Só os pés e as mãos delas não têm”, destacou.

“Será um tratamento por longo tempo. Nós temos que ir devagar, por partes, e com uma energia e intensidade mais fraca para não correr o risco de provocar queimaduras na pele da criança”, afirmou Calil. Após o primeiro resultado, o médico comemorou: “A gente ficou animado porque já calibramos o aparelho de laser na medida certa para ela”.

Com a terapia, o laser atinge uma profundidade de 5 milímetros na pele. O objetivo, segundo o  cirurgião, é destruir a raiz dos fios. (G!)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

Veja quantas doses da CoronaVac cada município do Bico vai receber nesta quarta, 20

Publicado

em

Após o pedido do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins (COSEMS-TO), a Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) encaminhou nesta terça-feira, 19, a relação de doses da vacina CoronaVac, contra a Covid-19 que serão distribuídas aos municípios.

As doses chegam a Central de Distribuição em Araguaína no final da tarde desta terça, 19, e serão entregues aos municípios biquenses, a partir das 14h, desta quarta, 20.

Confira quantas doses cada município deve receber:

Continue lendo

Bico do Papagaio

Municípios do Bico ainda não sabem cota e quando iniciam imunização contra Covid-19

Publicado

em

Com a chegada do primeiro lote de vacinas CoronaVac, contra Covid-19, nesta segunda, 18, ao Tocantins, os municípios do Bico do Papagaio ainda não tem definida a data de inicio da vacinação e nem a quantidade de doses que serão recebidas.

É aguarda para esta terça, 19, que a Secretaria de Estado da Saúde (SES), informe as Secretaria Municipais de Saúde, cada cota.

A princípio, a SES recebeu o comunicado do Ministério da Saúde, que neste primeiro lote, seriam enviadas 29.840 doses da CoronaVac, depois, esse número cresceu para 44 mil.

As vacinas para os municípios do Bico, serão transportadas ainda nesta terça, para a Central de Distribuição, em Araguaína. De lá, os municípios farão a retirada e ficam responsáveis pela aplicação do imunizante e pela escolha das pessoas dos grupos prioritários indicados pelo Ministério da Saúde.

A CoronaVac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, e está sendo produzida, no Brasil, pelo Instituto Butantan, em São Paulo. O uso emergencial da vacina foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no último domingo, 17. A agência também aprovou o uso emergencial da vacina de Oxford.

Continue lendo

Bico do Papagaio

Vacinas CoronaVac para o Bico serão levadas para Centro de Distribuição em Araguaína

Publicado

em

Começou na noite desta segunda, 18, à campanha de vacinação contra a Covid-19. As três primeiras pessoas escolhidas, que pertencem aos grupos prioritários, já foram imunizadas durante a solenidade de lançamento da campanha, realizada no Laboratório Central do Estado (Lacen), em Palmas, capital do estado.

O secretário de Estado da Saúde, Edgar Tollini, ressaltou que as vacinas serão enviadas imediatamente para todos os municípios, sendo que o ente municipal será responsável pela aplicação do imunizante e pela escolha das pessoas dos grupos prioritários indicados pelo Ministério da Saúde.

As vacinas destinadas aos 27 municípios do Bico do Papagaio, serão enviadas ainda nesta terça, 19, para um centro de Distribuição, na cidade de Araguaína. Lá, cada município biquense fica responsável pela retirada de sua cota. “Cada município tem a responsabilidade por seus cidadãos e com as pessoas dos grupos prioritários”, frisou o secretário Edgar Tollini, ao adiantar que a expectativa é vacinar a maior parte da população tocantinense ainda neste semestre.

A CoronaVac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, e está sendo produzida, no Brasil, pelo Instituto Butantan, em São Paulo. O uso emergencial da vacina foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no último domingo, 17. A agência também aprovou o uso emergencial da vacina de Oxford.

Continue lendo
publicidade Bronze