A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 1, a Operação Urutau, visando desarticular organização criminosa voltada à prática de desvio de recursos públicos e de lavagem de capitais, por meio da utilização de laranjas e testas-de-ferro, com objetivo de dissimular ou ocultar a origem ilícita dos recursos e a real propriedade de bens e empresas.

Aproximadamente 15 policiais federais cumprem, nesta capital, quatro mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão temporária, todos expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas.

A investigação teve início com o desdobramento da Operação Reis do Gado, deflagrada pela Polícia Federal em novembro de 2016.

A ação de hoje visa aprofundar as investigações, tendo como foco um dos eixos da organização criminosa, consistente no desvio de dinheiro oriundo de contratos públicos, além de ativa participação no processo de lavagem desses recursos, falsificando documentos e utilizando-se de empresas em nome de laranjas ou testas-de-ferro. O valor total dos contratos públicos ligados às empresas deste eixo pode ultrapassar R$ 50 milhões.

Os três mandados de prisão autorizados pela 4ª Vara da Justiça Federal são contra Luciano de Carvalho Rocha, primo de Marcelo Miranda, e a esposa dele Kamile Oliveira Salles; além de Guilherme Costa de Oliveira, suposto laranja. Estes três também são alvos de ordens de busca e apreensão.

O nome da operação faz referência ao pássaro urutau, conhecido como o rei da camuflagem.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.