A Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado, julgou esta semana, irregulares as contas de ordenador de despesas da Câmara Municipal de Buriti, no Bico do Papagaio, na gestão de Iris do Borjão (PV), referente ao exercício de 2016.

De acordo com a decisão, não houve apresentação da lei que fixou o subsídio dos agentes políticos, além de inconsistências contábeis e pagamento de serviços de contabilidade acima do valor praticado na região. Ao gestor foi aplicada multa no valor de R$ 5.000,00.

Também foram julgadas irregulares as contas do Fundo Municipal de Saúde de Buriti, gestão de Eva Lígia Ferreira da Silva Borges, relativas ao exercício de 2016.

Dentre as irregularidades praticadas foi constatado que a Lei Orçamentária Anual – LOA, não apresentou informações dos órgãos por ela contemplados, impossibilitando a comparação do Orçamento Inicial do fundo. A gestora à época foi aplicada multa no valor de R$ 10.000,00.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.