Connect with us

Bico do Papagaio

Inscrições para o Vestibular 2020/2 começam em 09 de março

Publicado

em

Começa a partir das 10h do dia 09 de março de 2020 o período para inscrições ao Vestibular 2020/2 da UFT. O prazo se estende até às 23h59 do dia 23 de março. São ofertadas 781 vagas, distribuídas entre 42 (quarenta e dois) cursos de graduação da UFT. A disputa pelas vagas ocorre em três modalidades de concorrência: Reserva Legal de Vagas, Ações Afirmativas UFT e Ampla Concorrência (AC), conforme o quadro disponível no Anexo I do edital (acesse a íntegra aqui).

A inscrição será realizada somente pela internet, na página da Comissão Permanente de Seleção (Copese). A taxa de inscrição para este seletivo – cujo ingresso será somente para o segundo semestre letivo de 2020 – é de R$ 120,00. Para efetuar a inscrição, o candidato deverá preencher, corretamente, a Ficha de Inscrição e o Questionário Socioeconômico, disponíveis no mesmo sítio; preencher todos os dados solicitados; imprimir o boleto bancário para pagamento e realizar o pagamento dentro do cronograma (até 24 de março).

As provas serão aplicadas no dia 03 de maio de 2020, nos turnos matutino e vespertino, nas cidades onde a UFT tem câmpus (Araguaína, Arraias, Gurupi, Miracema, Palmas, Porto Nacional e Tocantinópolis). No momento da inscrição o candidato já deverá indicar em que cidade deseja realizar as provas. Os candidatos aos cursos de Medicina (Araguaína e Palmas) farão as provas obrigatoriamente numa das duas cidades – também devendo indicar qual no momento da inscrição.

Confira todos os detalhes desta seleção na página da Copese AQUI.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

Tocantinópolis, São Miguel e Wanderlândia vão receber compensação de impactos da mineração

Publicado

em

Três municípios biquenses e outros 32 do restante do Tocantins receberam recursos referentes à partilha da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM). Segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), os valores repassados correspondem à apuração da arrecadação compreendida entre 12 de junho de 2018 e 30 de abril de 2020.

No geral para o Bico os valores são pequenos e praticamente módicos. Os três município que receberão, terão justos o direito a R$ 27.536,50. Tocantinópolis (R$ 16,25), São Miguel (R$ 5.315,48) e Wanderlândia (R$ 5.971,02).

Ao todo para todos os município do Tocantins, contemplados, foram transferidos R$ 3.338.789,19, a serem compartilhados entre os municípios.

Têm direito à CFEM os Municípios não produtores impactados de alguma forma pela mineração, seja por estruturas em seus territórios, seja pelas instalações de beneficiamento de substâncias, pilha de estéril, ferrovias ou minerodutos. Ainda, tem direito aqueles que possuem barragens com rejeitos armazenados. Essas cidades passaram a ser incluídas no repasse da Cfem por meio da Lei 13.540/2017.

Os Municípios podem utilizar os recursos em projetos que diretamente ou indiretamente sejam revertidos em benefício da comunidade local como, por exemplo, em melhorias da infraestrutura, da qualidade ambiental, da saúde e da educação. A legislação proíbe a destinação aos pagamentos de dívidas e de folha salarial do quadro permanente de funcionários.

Continue lendo

Bico do Papagaio

TOCANTINÓPOLIS: Sobe para 111 pessoas que pegaram Covid-19

Publicado

em

Continue lendo

Bico do Papagaio

Municípios têm limite de crédito ampliado

Publicado

em

Os municípios e estados poderão pegar empréstimo adicional no sistema financeiro sem garantia do Tesouro Nacional. Em reunião extraordinária, o Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou o limite para a contratação de operações do tipo em 2020.

A medida ajuda as Prefeituras e Governos a pegarem dinheiro emprestado em bancos ou organismos multilaterais sem a necessidade de que o Tesouro dê garantias e cubra eventuais calotes.

Todo ano, o CMN fixa valores máximos que a União, os estados e os municípios podem pegar emprestado no sistema financeiro. A utilização desse limite poderá ser acompanhada pelas instituições que integram o sistema financeiro e pela sociedade, por meio do site do Banco Central.

Em nota, o Ministério da Economia informou que o limite global não tem impacto fiscal para a União e que não afeta o cumprimento da meta de déficit primário para os governos locais nem para as estatais federais estabelecida pela Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020.

Continue lendo
publicidade